PARTICIPE DO NOSSO BLOG

DÊ A SUA OPINIÃO
O QUE VOCÊ ESTÁ ACHANDO DO NOSSO BLOG?
ENVIE FOTOS, VÍDEOS, ARTIGOS...

CLIQUE AQUI E ENVIE A SUA MENSAGEM
projetovindemeninos@gmail.com





domingo, 28 de junho de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / OSÉIAS E O AMOR INSISTENTE - Lição: 13

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 28 – 06 – 2015.
Lição: 13.                               Título da Lição
OSÉIAS E O AMOR INSISTENTE
 Texto Áureo: “OUVI a palavra do Senhor, vós, filhos de Israel, porque o Senhor tem uma contenda com os habitantes da terra, porque não há verdade, nem benignidade, nem conhecimento de Deus na terra” (Os. 4: 1).

461- 119- HC
 Leitura Bíblica em Classe: (Os. 1: 1 a 9)
1 – PALAVRA do Senhor, que foi dita a Oseias, filho de Beeri, nos dias de Uzias, Jotão, Acaz, Ezequias, reis de Judá, nos dias de Jeroboão, filho de Joás, rei de Israel.
2 – O principio da palavra do Senhor por Oseias: disse pois o Senhor a Oseias: Vai, toma uma mulher de prostituições, e filhos de prostituição; porque a terra se prostituiu, desviando-se do Senhor.
3 – E foi-se, e tomou a Gomer, filha de Diblaim, e ela concebeu, e lhe deu um filho.
4 – E disse-lhe o Senhor: Põe-lhe o nome de Jezreel; porque daqui a pouco visitarei o sangue de Jezreel sobre a casa de Jeú, e farei cessar o reino da casa de Israel.
5 – E sertã naquele dia que quebrarei o arco de Israel no vale de Jezreel.
6 – E tornou ela a conceber, e deu à luz uma filha; e ele disse: Põe-lhe o nome de Lo-Ruama; porque eu nãome tornarei mais a compadecer da casa de Israel, mas tudo lhe tirarei.
7 – Mas da casa de Judá me compadecerei, e os salvarei pelo Senhor seu Deus, pois não os salvarei pelo arco, nem pela espada, nem pela guerra, nem pelos cavalos nem pelos cavaleiros.
8 – E, depois de haver desmamado a Lo-Ruama, concebeu e deu à luz um filho.

9 – E, ele disse: Põe-lhe o nome de Lo-Ami: porque não sois meu povo, nem eu serei vosso Deus.

INTRODUÇÃO

I – OSÉIAS E O AMOR INSISTENTE

Definição: O titulo desta lição 13, encerrando assim este segundo trimestre de lições Bíblicas, onde temos tomado conhecimento da situação que vem desde o principio da história de um povo que foi escolhido por Deus para ser o seu povo peculiar. Ser peculiar é ser especial, de valor, (Tt. 2:14). Oséias vive nos últimos dias do reino de Israel por conta dos séculos de pecado do povo. A infidelidade espiritual do povo é comparada ao pecado de adultério, pois o Senhor Deus se via traído pelo seu povo todo o tempo. O Senhor era justamente traído porque, o povo deixava de adora-lo, para adorar a Baal-Peor, isto é coisa vergonhosa, tudo isto está inserido no livro do profeta Oséias. Vejamos: (Os. 9; 10) e Deut. 4: 2 a 4. O livro de Oséias, mais do que qualquer outro livro do Antigo Testamento, expõe claramente o sentimento do Senhor em relação ao proceder de seu povo, ou seja, o grande amor, o zelo desde que os tirou da servidão do Egito, o amor de Deus é incondicional, como citamos acima, Oséias estava ali vivendo os últimos dias do reino de Israel, Israel estava se acabando, o povo estava chegando ao fim, imaginem a tristeza do Senhor por ver um trabalho de séculos seguidos indo embora sem um bom resultado. O nome Oséias quer dizer “salvação”, temos visto com frequência nos livros anteriores que sempre o nome do autor retrata a sua mensagem. O livro de Oséias pode até ser de difícil compreensão, mas é certo que muitas vezes os desíguinos do Senhor são vedados ao nosso conhecimento, mais certo ainda é que, houve realmente o casamento de Oséias com a prostituta. Oséias vive no próprio casamento o que o Senhor estava passando em relação a Israel. Oséias foi o homem escolhido para compartilhar com o Senhor a dor de uma traição, pois desde o principio a união do senhor com seu povo seria comparado a um casamento, uma união. Portanto o casamento de Oséias com Gomer representa a união de Deus como seu povo. A questão: “toma uma mulher de prostituições”, isso faz entender que ela vem de um ambiente de imoralidade, por isso teria uma tendência a ser adultera. Igualmente a situação espiritual de Israel, sempre caindo na prostituição. O caso de Gomer é paralelo ao de Israel, que se tornou adultera depois de se unir com Deus, desde a saída do Egito, a intenção daquele povo era se livrar da escravidão, quanto a seguir os preceitos do Senhor, isto não estava em seus planos, pois nunca se firmaram, sempre se rebelando contra o Senhor. O relato fala sobre filhos que nasceram depois do casamento de Oséias (Os. 1: 3 a 5)), este primeiro filho era de Oséias, e o Senhor mandou que colocasse o nome de Jezreel que significa: “Deus espalha ou “Deus semeia”. O nome sugere os planos de Deus para Israel. Jezreel foi a cidade onde moraram alguns reis de Israel, e onde Jeú  acabou com a casa de Acabe. Deus prometeu trazer castigo sobre a casa de Jeú e fazer cessar o reino e o arco que significa: (poder militar) de Israel. Obs. O Senhor usou a Jéu para destruir a casa de Acabe e lhe entregou o reino, mas Jeú não se dedicou ao Senhor, ele imitou os pecados de Jeroboão (2 Rs. 10: 30, 31). Mas voltando a Oséias, no verso 6 do cap. 1, diz que Gomer mais uma vez concebeu e deu a luz uma filha, vejamos o que disse o Senhor: Lo-Ruama (casa de Israel não compadecida). No verso 8, diz que pela terceira vez Gomer concebe e dá a luz um filho, neste dois últimos nascimentos não há referencia de que sejam filhos de Oséias, mas vejamos o que o Senhor diz a respeito do terceiro filho, versos 8 a 11. Então podemos ver que sobre a menina Lo-Ruama, Ele não mostraria mais favor (graça, Misericórdia) à casa de Israel, mas ainda teria compaixão para com Judá. este seria salvo, não pela força militar, ou seja, por Israel, mas pelo Poder de Deus. O terceiro filho de Gomer outro menino recebeu o nome de Lo-Ami que quer dizer não meu povo, de novo tudo indica que Oséias não foi pai dessa criança, o nome simbolizava a rejeição de Israel por Deus. Mas no verso 10 do cp. 1 podemos sentir que o Senhor embora sentindo a rejeição, Ele se lembra da Promessa de um Salvador. (Os. 2: 1 a 8), isto desde que os tirou do Egito, (Versos 9 a 13), estes versos nos faz lembrar o horror do cativeiro, pode-se até incluir aqui o período de silencio, (versos 14 a 23), estes últimos versos podemos sentir a presença do Salvador principalmente nos versos 22 e 23. As suas Promessas sempre se cumprirão, pois o Senhor não mente jamais. Neste resumo do livro, importante é entender que, o Amor Divino é Incondicional e insistente. (I Pd. 2: 10).

domingo, 21 de junho de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / DANIEL, UM JUDEU DETERMINADO - Lição: 12.

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 21 – 06 – 2015.
Lição: 12.                                        Título da Lição
DANIEL, UM JUDEU DETERMINADO.
 Texto Áureo: “Os entendidos pois, resplandecerão, como o resplendor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça refulgirão como as estrelas sempre e eternamente.” (Dn.12: 3) 
                                                       221 – 432- HC
Leitura Bíblica em Classe: (Dn. 1: 1 a 8).  
1 – NO ano terceiro do reinado de Jeoiaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei de Babilônia, a Jerusalém e a sitiou.
2 - E o Senhor entregou em suas mãos a Jeoiaquim, rei de Judá, e uma parte dos vasos da casa do seu deus, e pôs os vasos na casa do tesouro do seu deus.
3 – E disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem real e dos nobres.
4 – Mancebos em que não houvesse defeito algum, formosos de parecer, e instruídos em toda a sabedoria, sábios em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para viverem no palácio do rei, a fim de que fossem ensinados nas letras e na língua dos caldeus.
5 – E o rei lhes determinou a ração de cada dia, da porção do manjar do rei, e do vinho que ele bebia, e que assim fossem criados por três anos, para que no fim deles, pudessem estar diante do rei.
6 – E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e azarias.
7 – E o chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel pôs o de Beltessazar, e a Hananias, o de Sadraque, e a Misael o de Mesaque, e a Azarias o de Abednego.
8 – E Daniel assentou em seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar.


INTRODUÇÃO

I – DANIEL, UM JUDEU DETERMINADO.


Definição: Daniel, judeu de família nobre, juntamente com outros jovens foram levados ao cativeiro dos setenta anos. Muito temos ouvido da parte do Senhor acerca desse cativeiro. Mas como já temos aprendido nessa sequência de relatos sobre o terrível cativeiro dos setenta anos, havia um propósito da parte do Senhor nessa permissão. O Senhor na sua infinita bondade por conta da Sua Santidade, não poupa as suas muitas misericórdias em prol do transgressor às suas Leis. Da parte do rei Nabucodonosor também havia um propósito em seu coração: usar em seu reino, colocar a seus serviços alguns dos filhos de Israel, da linhagem real e dos nobres. (Dn. 1: 3, 4). E assim foi feito, Aspenaz chefe dos eunucos, trouxe os quatro jovens, sendo um deles Daniel, esses moços como nos diz o verso 4, eram além de belos sem nenhum defeito físico, instruídos em toda a sabedoria, sábios em ciência. Mas podemos sentir pelos escritos desse livro que, os quatro jovens eram santificados, mas em Daniel havia algo mais, naquela determinação logo de chegada ao palácio, quando foi determinada a ração de cada dia da porção do rei, somente Daniel assentou em seu coração não participar, e ele determinou não só para ele, mas também para os outros três que estavam com ele, pois todos serviam ao Senhor. O Senhor abençoou esta decisão de Daniel, e o chefe permitiu que ele e seus companheiros fizessem essa experiência, no final de dez dias comendo legumes ficaram muito mais saudáveis que os demais. (Cap. 1: 15, 16). É bom observar o verso 17: “Ora, a estes quatro mancebos Deus deu o conhecimento e a inteligência em todas as letras, e sabedoria; mas a Daniel deu entendimento em toda a visão e sonhos.” Então uma vez que Daniel tomou essa atitude, Deus o usou para revelar algumas das suas mensagens mais importantes da época. Ele revelou e explicou sonhos do rei Nabucodonosor. Vejamos o cap. 2: 1 a 11. Era realmente impossível o que aquele rei queria que fosse feito. Se interpretar um sonho já é difícil, imaginem saber o que ele sonhou e dar interpretação, e isto sob ameaça de morte. Mas o Senhor ali viu que em Daniel, podia confiar. O rei muito se irou com aqueles magos e astrólogos. (versos 12 a 22). Que situação! Outra atitude nobre de Daniel, foi quando no verso 24, Daniel intercede por todos os sábios de Babilônia. Muitas vezes enfrentamos situações em que temos que escolher: ou faço o que é certo, ou vou ceder às imposições que se apresentam no dia a dia de nossas vidas. Principalmente na questão do mentir. Quantas vezes somos pressionados a  mentir, no setor de trabalho, no meio dos parentes e amigos, dar certas desculpas, em fim, usando o politicamente correto. E ainda queremos levantar a cara pra cima e dizer: ó Senhor tu sabes. Sabes o que? Que eu sou um covarde, ou um oportunista? Mas com Daniel foi diferente, pois ele apesar de sua pouca idade tinha santidade, por isso se tornou digno. O Conceito do Senhor em relação ao jovem Daniel se completou a partir do momento em que ele teve a coragem de pedir àquele chefe dos eunucos que mudasse a alimentação dele e de seus companheiros. Coragem sim, pois esses moços não estavam ali passeando, ou passando umas férias, eles estavam ali na condição de escravos de um rei mau. Mas voltando ao sonho do rei, Daniel intercede por todos os sábios e astrólogos de Babilônia: (Verso 25 a 28), Daniel sabia que o deus daquele rei era outro bem diferente, mas não temeu em apresentar o Deus Verdadeiro! Ali já começa acontecer a evangelização para aquele homem duro de coração. Quando ele diz ao rei... “Mas há um Deus nos céus, o qual revela os segredos; ele, pois fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de ser no fim dos dias; o teu sonho e as visões da tua cabeça na tua cama são estas:” (Dn. 2: 28). Daniel foi direto ao ponto, dizendo ao rei de inicio que, não haveria na terra homem algum que pudesse revelar ao rei o que ele queria saber. Só quem poderia isso fazer seria Aquele que deu o sonho, ou seja, o Senhor todo Poderoso! Na verdade aquele rei mau era carente, pois quando uma pessoa age da maneira pela qual ele agia não tem amigos, tem escravos que o odeiam, passa a ser uma pessoa só, carente, mesmo que essa pessoa diga que não, dinheiro poder e fama não trás felicidade, mas quando a mensagem Divina é levada direta ao coração, algo acontece, podemos ter certeza de que ali começou no interior daquele homem uma mudança. Ele presenciou milagres através de seus desvarios: (cap. 3: 15 a 23). Sem se falar da cova dos leões. (Dn. 6: 15 a 23). Não ficam dúvidas de que houve salvação na vida desse homem!

domingo, 14 de junho de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / O VERDADEIRO ATALAIA - Lição: 11

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 14 – 06 – 2015.
Lição: 11.
Título da Lição
O VERDADEIRO ATALAIA
  Texto Áureo: “Mas se avisares o ímpio, e ele não se converter da sua impiedade e do seu caminho ímpio, ele morrerá na sua maldade, mas tu livraste a tua alma” (Ez. 3; 19).
374 – 440 – HC.

 Leitura Bíblica em Classe: (Ez. cap. 2: 1 a  ).
1 – E DISSE-ME: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo.
2 – Então entrou em mim o espírito, quando falava comigo, e me pôs em pé, e ouvi o que me falava.
3 – E disse-me: Filho do homem, eu te envio aos filhos de Israel, às nações rebeldes que se rebelaram contra mim; eles e seus pais prevaricaram contra mim, até este mesmo dia.
4 – E os filhos são de semblante duro, e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Jeová.
5 - E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir (porque eles são casa rebelde), hão de saber que esteve no meio deles um profeta.
6 – E tu, ó Filho do homem, não os temas, nem temas as suas palavras; ainda que sejam sarças e espinhos para contigo, e tu habites com escorpiões, não temas as suas palavras, nem te assustes com os seus rostos, porque são casa rebelde.
7 – Mas tu lhes dirás as minhas palavras, quer ouçam quer deixem de ouvir, pois são rebeldes.
8 – Mas tu, ó Filho do homem, ouve o que eu te digo, não sejas rebelde como a casa rebelde; abre a tua boca, e come o que eu te dou.
9 – Então vi que uma mão se estendia para mim, e eis que nela estava um rolo de livro.
INTRODUÇÃO 
I – O VERDADEIRO ATALAIA


Definição: Atalaia: homem de vigia, sentinela, despertado, ativo e acima de tudo, fiel, leal ao Senhor. Ezequiel era de família sacerdotal, a história conta que ele era filho de Buzi. Ele também foi sacerdote. Naquela época só poderia iniciar o sacerdócio aos trinta anos. Mas justamente no ano em que ele completaria os seus trinta anos, se encontrava no cativeiro babilônico (Ez. 1: 1),  cerca de 1.100 quilômetros distante do Templo de Jerusalém. Ezequiel por permissão divina viveu entre os exilados, foi onde o Senhor mais o usou em Sua causa. Às vezes, é complicado de entender as razões, os meios que o Senhor usa em prol de uma alma. Já temos aprendido desde o livro do profeta Isaias, Jeremias e suas lamentações sobre as profecias devastadoras, que, aliás, se cumpriu tudo que foi profetizado àquele povo rebelde, mas não poderíamos imaginar que no meio dos rebeldes, o Senhor não pouparia os fieis, obedientes, que lamentava chorando tudo aquilo que acontecia no meio dos devassos. E assim foram homens íntegros, santificados, como Ezequiel, homem pronto, preparado para receber as ordenanças do Senhor, que seriam as mais difíceis como veremos um pouco na história de Ezequiel. Havia em Babilônia um homem em especial que precisava ser salvo, e penso que já sabemos muito bem de quem se trata. Vejamos um texto importante nessa questão: (I Cor. 1: 28). Mas, voltando ao exílio de Ezequiel, foi quando na segunda vinda a Jerusalém, que Nabucodonosor deportou para Babilônia o rei Joaquim e a família real, com mais dez mil membros da alta sociedade. Ezequiel estava entre eles. Era contemporâneo do profeta Jeremias, porém mais novo (II Rs 24: 12 a 14). Ezequiel era casado, mas sua mulher morreu em meio ao cativeiro (Ez. 24: 15 a 18). Interessante que o Senhor é insistente com Sua Palavra, enquanto há um fiozinho de esperança, de que haja salvação. Mesmo tendo dado o cumprimento da profecia, o Senhor trabalhou em prol dos perdidos, tocando naquele rei mau para que levasse também os santos para o cativeiro, pois o Senhor precisava usa-los ali naquela terra, não só em prol da alma do rei, mas também continuar transmitindo as Suas mensagens de salvação. Ezequiel era muito jovem quando foi levado ao cativeiro junto aos transgressores da Palavra. O nome Ezequiel significa: “Deus fortalece”. A profecia de Ezequiel é marcada por visões e ações simbólicas (versos 1 a 3) Numa delas ele come um rolo (livro) (Ez. 3: 1 a 4). É impossível relatar todo o trabalho espiritual, esmerado desse homem. Mas como estamos seguindo uma sequência, desde Gênesis, já temos certa condição para entender o conteúdo desse livro. Toda essa história relatada no livro, se passa no cativeiro. As visões arrebatadoras de Ezequiel foram essências para a mensagem geral do livro por dois motivos: - Reforçam a veracidade do conhecimento do profeta. A escatologia predominante nas visões mostrou aos exilados que as promessas do Senhor ainda eram válidas, os ossos secos poderiam ganhar vida e voltarem a se reunir. (Ez. 37: 1 a 14). - Acima de tudo, as visões de Ezequiel foram meios de transmitir, o conhecimento de Deus aos exilados. A visão das rodas (Ez. 10: 1 a 12) Os detalhes desta visão estranha e complexa, com suas criaturas de difícil interpretação, desafiam qualquer explicação. Porém, a intenção básica da visão é inconfundível. Mas o Senhor quis mostrar a Ezequiel, e falar aos cativos que: Ele o Senhor Vive e Reina nos Céus, Majestoso, exercendo o controle absoluto sobre toda a criação, mesmo estando eles ali cativos na Babilônia. No verso 12 vemos como que; uma carruagem em movimento Magnífico, cheia de Olhos em redor, representando sua Presença em qualquer direção. Pois os seus olhos veem tudo e por isso, certamente Ele agiria em favor do seu povo no tempo certo. Ezequiel Profetizou fora de Israel. O Senhor chamou Ezequiel pelo título de “Filho do Homem” dezenas de vezes no livro. Só existe essa mesma expressão no livro do profeta Daniel (Dn. 8: 17). Sabemos que, essa expressão é dirigida através do Pai ao Filho Jesus, aquele cuja promessa era de salvação exclusiva ao povo judeu (João 1: 11). Então vemos Ezequiel feito profeta entre os exilados judeus, porém fora de Israel na terra de Babilônia, isto significa uma ruptura, da mesma forma como aconteceu com Jesus Cristo, veio para o que era dele, mas os dele não o receberam, então desbravou, estendendo a sua Palavra a toda a humanidade. Portanto Ezequiel também foi um tipo de Cristo. Ezequiel sacerdote, Jesus Sumo sacerdote (Hb. 4: 14 a 16). 

domingo, 7 de junho de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / NÃO BRINQUES COM DEUS - Lição: 10

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 07 – 06 – 2015.
Lição: 10.                             Título da Lição
NÃO BRINQUES COM DEUS
  Texto Áureo: “De que se queixa o homem vivente? queixe-se cada um dos seus pecados”. (Lm. 3: 39)
374 – 440 – HC.

 Leitura Bíblica em Classe: (Lm. 1: 1 a 7).
ALEFE. COMO se acha solitária aquela cidade, dantes tão populosa! tornou-se como viúva; a qual foi grande entre as nações, a princesa entre as províncias, tornou-se tributária!
BETE. 2 – Continuamente chora de noite, e as suas lágrimas correm pelas suas faces; não tem quem a console entre todos os seus amadores: todos os seus amigos se houveram aleivosamente com ela, tornaram-se seus inimigos.
GUÍMEL. 3 – Judá passou em cativeiro por causa da aflição, e por causa da grandeza da sua servidão: habita entre as nações, não acha descanso: todos os seus perseguidores a surpreenderam nas suas angustias.
DÁLETE. 4 – Os caminhos de Sião pranteiam, porque não há quem venha à reunião solene; todas as suas portas estão desoladas; os seus sacerdotes suspiram: as suas virgens estão tristes, e ela mesma tem amargura.
HÊ. 5 – Os seus adversários a dominaram, os seus inimigos prosperam: porque o Senhor a entristeceu, por causa da multidão das suas prevaricações: os seus filhinhos vão em cativeiro na frente do adversário.
VAU. 6 – E da filha de Sião foi-se toda a sua gloria: os seus príncipes ficaram sendo como veados que não acham pasto e caminham sem força na frente do perseguidor.
ZAIN. 7 - Lembra-se Jerusalém, nos dias da sua aflição e das suas rebeliões, de todas as suas mais queridas cousas, que tivera dos tempos antigos: quando caía o seu povo na mão do adversário, e ela não tinha quem a socorresse, os adversários a viram, e fizeram escárnio dos seus sábados.


INTRODUÇÃO

I – NÃO BRINQUES COM DEUS 

Definição: O lamento, o desgosto do profeta Jeremias é compreensível, pois durante décadas foi transmitida a Palavra que o Senhor lhe ordenava, madrugando, anoitecendo, em fim, dedicou toda a sua vida à tarefa de avisar àquele povo sobre as consequências que viria se não saíssem da vida pecaminosa, mas perseveraram em contrariar constantemente ao Senhor. Povo de dura cerviz (Is. 48: 4, 5; Ne. 9: 29; Ex. 32: 9). Desde a saída do Egito este povo tem se mostrado como acabamos de ver no texto de Êxodo, que é um povo obstinado. Povo que vem para a Casa do Senhor não para serem salvos do pecado, nem para mudar o rumo de suas vidas e entrar no Caminho, aprender a Verdade, para que tenham a verdadeira Vida na Pessoa de Jesus Cristo. Voltando a mencionar sobre o Egito, a verdade é que eles estavam a fim, se livrar dos trabalhos pesados, da chibata, em nenhum momento pensaram em suas almas, pois desde lá já viviam na mistura, e ao saírem do Egito trouxeram os vulgos com eles, para que assim fosse perpetuada as suas tramoias (Nu. 11: 4 a 6). Vemos aqui claramente a influência exercida na vida do que pensa estar enganando ao Senhor. O Senhor é longânime, e no passado atendeu muitas vezes o pedido de Moisés na sua intercessão pelo povo. Hoje temos como intercessor Jesus, que dia e noite intercede diante do Pai, mas até quando? Pode crer, essa intercessão tem limite. Mas voltando ao livro de Lamentações de Jeremias, vemos o profeta profundamente angustiado pelo cumprimento das profecias a qual ele foi o mensageiro. A consequência da desobediência às mensagens entregues através do profeta se cumpriu. Quando a paciência do Senhor chega ao limite a Ira se acende, então vem o cumprimento da Palavra, pois da boca Senhor só saem  verdades: “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa: porventura diria ele, e não faria? ou falaria, e não o confirmaria? (Nu. 23: 19) Os quatro primeiros capítulos de Lamentações de Jeremias são poemas acrósticos, onde cada estrofe inicia com uma letra do alfabeto hebraico. Cada capítulo tem o seu tema: Capitulo 1 -  
Descreve o terrível sofrimento de Jerusalém como uma viúva que perde o marido e ainda e levada à escravidão. “Jerusalém gravemente pecou, por isso se fez instável” (Lm. 1: 8). Ou seja, um povo sem firmeza, sem paradeiro, cai na escravidão, nas garras de Nabucodonosor, fora de sua Pátria. Capitulo 2 – Focaliza o Ato Divino. O Senhor fez cumprir a Sua Palavra. “Tornou-se o Senhor como inimigo; devorou Israel, devorou todos os seus palácios, destruiu as suas fortalezas; e multiplicou na filha de Judá a lamentação e a tristeza”. (Lm. 2: 5). Capítulo 3 – Apresenta Jeremias convidando o povo a reconhecer o seu pecado. Mas é um pouco tarde demais. Jeremias tinha dentro de si a convicção de que o Senhor é misericordioso, e ainda tinha esperança. “Disto me recordarei no meu coração; por isso tenho esperança. As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos; por que as suas misericórdias não tem fim.” (Lm. 3: 21, 22). Capitulo 4 – A causa de toda essa calamidade descrita nesse livro é sempre a mesma: desobediência. Desde a plebe aos reis e sacerdotes, todos ouviram as mensagens fortes transmitidas pelo profeta Jeremias, mas não deram ouvidos, igualzinho o que acontece nos dias atuais. “Não creram os reis da terra, nem todos os moradores do mundo, que entrasse o adversário e o inimigo pelas portas de Jerusalém”. Capitulo 5 – Este capitulo descreve o arrependimento do povo clamando a Deus e pedindo perdão. O título do livro não poderia ser outro, pois é realmente lamentável a desobediência do povo. No cap. 3: 29, Jeremias ainda aconselha o povo a porem suas  bocas no pó, talvez houvesse esperança, mas acontece que naquelas alturas dos acontecimentos era um pouco tarde. Obedecer é melhor do que sacrificar (I Sm. 15: 22, 23). Ali tiveram que passar por aquele cativeiro por setenta anos. Agora vamos atentar para a situação atual. A Profecia hoje vinda diretamente de Jesus nos fala sobre o principio de dores (Mat. 24: 1 a 14). Mas o sermão continua neste mesmo capitulo: Versos: 36 a 44. Portanto, aviso, informações não faltam dentro deste livro chamado Bíblia Sagrada, e também os grandes sinais de tudo quanto o Senhor Jesus tem nos ensinado acerca do fim desse sistema de coisas. Após o arrebatamento dos que procuram viver como IGREJA, e não dentro de uma igreja, seguir-se-á a grande tribulação, naqueles dias o Espírito Santo não estará mais nessa terra, e agora? Sem o ES como se entenderá a Palavra? Pense nisto!