Translate

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

LIÇÕES BÍBLICAS / JACÓ, ATENTO À VOZ DO SENHOR! - Lição: 13

 LIÇÕES BÍBLICAS
 Classe: “Ovelhas do Bom Pastor”.
 Data: - 30 – 12 – 2018.     
Titulo da Lição:     JACÓ, ATENTO À VOZ DO SENHOR!
Lição: 13
Texto Áureo: “Escolhi o caminho da verdade: propus-me seguir os teus juízos.” (Sl. 119: 30).
                                        
Leitura Bíblica em Classe:       314  – 316 - HC               (Sl 119: 1 a 16).

1 – BEM-AVENTURADOS os que trilham caminhos retos, e andam na lei do Senhor.
2 – Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e o buscam de todo o coração.
3 – E não praticam iniquidade, mas andam em seus caminhos.
4 – Tu ordenastes os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos.
5 – Oxalá os meus caminhos fossem dirigidos de maneira a poder eu observar os teus estatutos.
6 – Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos.
7 – Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido os teus justos juízos.
8 – Observarei os teus estatutos: não me desampares totalmente.
9 – Como purificará o mancebo o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.
10 – De todo o meu coração te busquei: não me deixes desviar dos teus mandamentos.
11 – Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.
12 – Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.
13 – Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca.
14 – Folgo mais com o caminho dos teus testemunhos, do que com todas as riquezas.
15 – Em teus preceitos meditarei, e olharei para os teus caminhos.
16 – Recrear-me-ei nos teus estatutos: não me esquecerei da tua palavra.
17 – Faze bem ao teu servo para que viva e observe a tua palavra.
18 – Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei.
19 – Sou peregrino na terra: não escondas de mim, os teus mandamentos.
20 – A minha alma está quebrantada de desejar os teus juízos em todo o tempo.
21 – Tu repreendeste asperamente os soberbos, amaldiçoados, que se desviam dos teus mandamentos.
22 – Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois guardei os teus testemunhos.

Título da Lição: JACÓ, ATENTO À VOZ DO SENHOR!

Definição.  É chegada a hora de Jacó voltar para sua terra, sua casa, Jacó como homem temente a Deus, já tendo passado por tantas tribulações em sua vida, e também por tantas experiências magníficas com Deus, ouviu atentamente a voz Divina que fala de várias maneiras, é tão somente estar atento, os espirituais entendem, e Jacó entendeu. Uma das áreas mais difícil para os que verdadeiramente recebem a Jesus como Salvador, é compreender qual a vontade de Deus, compreender e aceitar, sabendo de imediato que, a vontade de Deus é sempre voltada para que haja crescimento espiritual na vida dos que fazem voto de segui-lo. Mas vamos assim dando continuidade a esta história que se passou lá nas terras de Harã sob o comando nefasto de Labão. Na lição anterior vemos Jacó naqueles campos aplicando técnicas totalmente sob a orientação Divina, pois Deus era com Jacó, e foi ali feita uma junção maravilhosa de técnicas e intervenção sobrenatural Divina. Desta maneira Jacó ia aumentando o seu rebanho com animais muito fortes, saudáveis, vejamos: “E sucedia que cada vez que concebiam as ovelhas fortes, punha Jacó as varas diante dos olhos do rebanho nos canos, para que concebessem diante das varas. E cresceu o varão em grande maneira, e teve muitos rebanhos, e servas e camelos e jumentos.” (Gn. 30: 41 a 43). Então Deus viu que era chegada a hora de Jacó retornar à sua terra, pois ali já permanecia naquele lugar sendo escravizado por Labão mais de vinte anos, trabalhando a troco de duas mulheres e a comida, mas o cativeiro foi virado para Jacó, pois agora ele estava rico como vemos no texto  bíblico, e era chegada a hora. Finalmente, Jacó recebe a direção Divina: “E disse o Senhor a Jacó: torna à terra dos teus pais, e à tua parentela e eu serei contigo. Então enviou Jacó, e chamou a Raquel e a Léia ao campo, ao seu rebanho. E disse-lhes: Vejo que o rosto de vosso pai para comigo não é como anteriormente; porém o Deus de meu pai esteve comigo;” (Gn. 31:3 a 5). Dali Jacó expos para suas mulheres a ordem recebida dos Céus, para retornar à terra de seus pais. Jacó teve uma atitude muito digna e muito linda, mostrando o devido respeito e consideração às suas mulheres e filhos. Ele faz a elas suas mulheres esse relato das ocorrências no campo, para que elas tomassem conhecimento na verdade que espécie de homem era o seu pai Labão, e ali Jacó fala também o que o Senhor Deus lhe falou em sonhos; vejamos: “E disse-me o anjo de Deus em sonhos: Jacó. E eu disse: Eis-me aqui. E disse ele: Levanta agora os teus olhos, e vê que todos os bodes que cobrem o rebanho, são listrados, salpicados e malhados; porque tenho visto tudo o que Labão te fez. Eu sou o Deus de Betel, onde tens ungido uma coluna, onde me tens votado um voto; levanta-te agora, sai-te desta terra, e torna-te à terra da tua parentela. Então responderam Raquel e Léia, e disseram-lhe: há ainda para nós parte ou herança na casa de nosso pai? Não nos considera como estranhas? Pois vendeu-nos, e comeu todo o nosso dinheiro. Porque toda a riqueza, que Deus tirou de nosso pai, é nossa e de nossos filhos; agora pois, faze o que Deus te tem dito.” (Gn. 31: 11 a 16). Que maravilha! Foi a reação tanto de Léia quanto de Raquel, pois ambas ali unidas, podemos sentir essa Unção quando lemos nas Escrituras qual foi a reação delas, permanecendo ao lado de Jacó, crendo no que o Senhor falou a ele no sonho. Ali podemos crer que Jacó se sentiu encorajado por elas. Vemos que rapidamente Jacó se levantou e colocou seus filhos e as mulheres sobre os camelos e levou todo o seu gado, e toda a sua fazenda, que havia adquirido naquele lugar. Isto aconteceu enquanto Labão estava um pouco distante tosquiando suas ovelhas. Nesse momento Raquel foi a tenda de seu pai Labão e furtou os seus ídolos, eram peças de imagens a qual Labão  os consultava, pois  Labão não tinha nenhum temor ao Senhor Deus de Israel, ele na verdade era feiticeiro. Mas Jacó com toda a sua casa fugiu de Labão com tudo que tinha, passou o rio; e pôs o seu rosto para a montanha de Gileade. Mas ao terceiro dia em que Jacó estava em viagem de regresso para sua terra junto a seu pai Isaque, já no terceiro dia da viagem, foi anunciado a Labão que Jacó havia fugido. Labão não perdeu tempo, bateu atrás de Jacó por sete dias e o alcançou na montanha de Gileade. Vejamos: “Veio porém Deus a Labão, o Arameu em sonhos de noite, e disse-lhe: Guarda-te que não fales a Jacó nem bem nem mal. Alcançou pois Labão a Jacó, e armara Jacó a sua tenda naquela montanha: armou também Labão com os seus irmãos a sua tenda na montanha de Gileade. Então disse Labão a Jacó: Que fizeste, que te esquivaste de mim, e levaste as minhas filhas como cativas pela espada? (Gn. 31: 24 a 26). Dali Labão vem com uma conversa falsa alegando que Jacó deveria lhe ter comunicado, ou melhor, lhe pedido, pois na verdade Jacó era tratado por Labão como se realmente fosse seu escravo, sem nenhuma voz ativa para com o seu lar. E Labão continuou alegando que Jacó não lhe permitiu beijar os filhos de suas filhas, e ainda cinicamente disse a Jacó o que o Senhor Deus lhe havia falado na noite anterior. Jacó não sabia que Raquel havia furtado os ídolos de Labão, acontece que aquela conversa de ídolos pra lá e pra cá foi provocando a ira de Jacó ao ponto de falar forte com Labão vejamos: “Então irou-se Jacó, e contendeu com Labão. E respondeu Jacó. E disse a Labão: qual é a minha transgressão? Qual é o meu pecado, que tão furiosamente me tens perseguido? Havendo apalpado todo os meus móveis, que achaste de todos os móveis da tua casa? Põe-no aqui diante dos meus irmãos, e teus irmãos; e que julguem entre nós ambos. Estes vinte anos estive contigo, as tuas ovelhas e as tuas cabras nunca abortaram, e não comi os carneiros do teu rebanho. Não te trouxe eu o despedaçado; eu o pagava; o furtado de dia e o furtado de noite da minha mão requerias...” (Gn.31: 36 a 39). Jacó quase entra em desespero com esta sarna chamada Labão atrás dele, e para se ver livre,  concorda em fazer mais um pacto, e ali Labão invocou alguns deuses e levantou uma coluna entre ambos. Finalmente livre. Pela manhã Labão se despediu beijou as filhas e filhos e foi-se.  Jacó seguiu seu caminho e os Anjos de Deus o encontrou, e disse Jacó: Este é o Exercito de Deus, e chamou aquele lugar de Maanaim que traduzido é: Acampamento de anjos. 

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Culto de Natal / 24 - 12 - 2018

PROCESSAMENTO DO CULTO DE NATAL
I – Oração de abertura
II – Hinos da Harpa Cristã: 41 – 21 – 124 –

III – Leitura Bíblica Oficial: Provérbios cap. 8: 22 a 36.
IV – Homenagem ao Templo por 29 anos com...
Poema: Manjedoura Querida! (Mª da Gloria).

Manjedoura em vastos pastos, lugar simples e acolhedor,
Ao receber meu Salvador, fez com que toda a natureza,
Se enchesse da mais rara beleza!

O Rei dos reis, ali nasceu,  para salvar você e eu,
Entre os animais onde ninguém jamais poderia  imaginar,
Sem luxo, sem riqueza, em meio á natureza livre para libertar,
Os cativos do pecado; Nasce o Bem amado!

Que exemplo Maravilhoso! Que Paz, que Luz
Irradia o bom Jesus...

Àqueles que preocupados ficam, com aparências, luxo, riqueza,
Quando na verdade toda a beleza está no mais simples e aconchegante.
Na Manjedoura o pequeno infante, trás aos homens de boa vontade,
A Paz tão almejada.

Assim nos alegramos em mais um ano que se finda,
Em nossa pequena Manjedoura onde aguardamos ainda,
A volta do Salvador que com tanto amor tem nos conservado.
São vinte e nove anos que se vão, aqui, nesse pedaço de chão.
Sem luxo, sem riqueza, porém sentimos na alma toda a Beleza,
Que nos é concedida, Minha Manjedoura Querida!!!

V – Hino: com a Congregação: Promessas que se cumprem.
VI – Uma pequena cantata de Natal
VII – Encerramento com o hino 120 HC. Oração final.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Convite / Culto de Natal - 2018


Culto em Ação de Graças pelos 29 anos da Congregação

Foi realizado nessa quinta-feira (20 de dezembro) um Culto em Ação de Graças pelos 29 anos da congregação da Igreja Assembléia de Deus localizada à Rua da Associação, 21, Irajá - Rio de Janeiro.
O aniversário da congregação na verdade é no dia 21 de dezembro, mas o ministério um função da data antecipou o evento para um dia antes.
Muita alegria, muitos testemunhos e a certeza que estamos no caminho certo, afinal de contas, 29 anos, são 29 anos!

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

LIÇÕES BÍBLICAS / CONFIA Ó ISRAEL, NO SENHOR! - Lição: 12

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor”.
Data: - 23 – 12 – 2018.     
Titulo da Lição:             CONFIA Ó ISRAEL, NO SENHOR!
Lição: 12
Texto Áureo: “ ” (Mt. 16: 16).
                                        
Leitura Bíblica em Classe:       253  – 321 - HC               (Jr. 17: 5 a  12).

5 – Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor.
6 – Porque será como a tamargueira no deserto, e não sentirá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável.
7 – Bendito o varão que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor.
8 – Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.
9 – Enganoso é o coração, mas do que todas as cousas, e perverso: quem o conhecerá?
10 – Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, eu provo os rins: e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações.
11 – Como a perdiz que ajunta ovos que não choca, assim é aquele que ajunta riquezas mas não retamente; no meio de seus dias a deixará, e no seu fim se fará um insensato.
12 – Um trono de gloria, posto bem alto desde o principio, é o lugar do nosso santuário. 


Título da Lição: CONFIA Ó ISRAEL NO SENHOR! 
Definição.  Vamos assim prosseguindo na linda história do moço chamado Jacó ao chegar a Cidade de Harã, e na casa de seu tio Labão. A principio foi tudo aparentemente muito bom, Jacó durante o primeiro mês ali trabalhando certamente com os rebanhos de Labão, pois Jacó era pastor de ovelhas, homem do campo e etc. Labão observando toda aquela disposição do rapaz, veio com  uma conversa um tanto interessante; vejamos: “Então Labão disse-lhe: Verdadeiramente és tu o meu osso e a minha carne. E ficou com ele um mês inteiro. Depois disse Labão a Jacó: Porque tu és meu irmão, hás de servir-me de graça? Declara-me qual será o teu salário.” (Gn. 29: 14, 15). Dali Labão aparentemente deixou a critério de Jacó a sua proposta salarial, e foi Jacó quem sugeriu a Labão o seguinte: “E Jacó amava a Raquel, e disse: sete anos te servirei por Raquel, tua filha menor. Então disse Labão: Melhor é que eu ta dê, do que a dê a outro varão; fica comigo. Assim serviu Jacó sete anos por Raquel; e foram aos seus olhos como poucos dias, pelo muito que a amava.” (Gn. 29: 18 a 20). Acontece que, findando os sete anos de trabalho, Jacó foi a Labão para lembra-lo do tratado, diz a Escritura que no mesmo dia Labão foi preparar a festa do casamento, convidando o povo, preparou um banquete, só que: “E aconteceu, á tarde, que tomou Léia, sua filha, e trouxe-lha. E entrou a ela.” (Gn. 29: 23). Quando chegou na manhã do dia seguinte Jacó viu que tinha sido enganado, não havia se casado com Raquel, mas com Léia. E agora? Jacó ao questionar com seu tio Labão, agora seu sogro, ele cinicamente disse o seguinte: “E disse Labão: não se faz assim no nosso lugar, que a menor se dê antes da primogênita. Cumpre a semana desta; então te daremos também a outra, pelo serviço que ainda outros sete anos servireis comigo. E Jacó fez assim: e cumpriu a semana desta: então lhe deu por mulher Raquel sua filha.” (Gn. 29: 26 a 28). Então podemos muito bem entender aqui, que Jacó com uma semana de casado com Léia, recebeu também a Raquel por sua mulher, trabalhou sim mais sete anos em pagamento por Raquel, mas já convivendo maritalmente com ela. E ficaram as duas irmãs convivendo na mesma tenda cada uma com sua serva dada pelo pai Labão. Léia recebeu a serva por nome Zilpa, e Raquel recebeu a Bila por serva. Pelos escritos que se seguem nesta história, vemos com toda clareza uma convivência familiar sem nenhuma felicidade, pois havia ali naquele lar; Léia uma esposa triste, pois sabia muito bem que Jacó não a amava mas sim a sua irmã. Vejamos o que ela diz no verso 32 de Gn. 29: “E concebeu Léia, e teve um filho, e chamou o seu nome Rúben, dizendo: Porque o Senhor atendeu à minha aflição, por isso agora me amará o meu marido.” Pura ilusão, e assim cada filho  que ela concebia era uma esperança de conquistar o amor de Jacó, e assim ela teve seis filhos homens:  Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar, Zabulon. E uma filha: Diná. Enquanto Léia concebia filhos, Raquel era estéril, vivendo amargurada, sentindo-se envergonhada por não ser mãe, então havia ali uma família muito infeliz, sem se falar na situação de Jacó, praticamente escravo do tio sogro, homem velhaco, em fim, pelo desenrolar da história Jacó já não estava mais suportando aquela situação. Mas finalmente o Senhor se lembrou de Raquel e ela concebeu e teve um filho e chamou o seu nome José. Raquel ao conceber e ter este filho agradece ao Senhor dizendo:“Tirou-me Deus a minha vergonha. E chamou o seu nome José, dizendo: O Senhor me acrescente outro filho.” (Gn. 30: 23, 24). Prosseguindo vemos que assim que Raquel teve o menino José, Jacó pediu a Labão que o deixasse ir de volta à sua terra, pelo teor da conversa vemos que a situação de Jacó ali era mesmo de escravo, vejamos: “Dá-me as minhas mulheres, e os meus filhos, pelas quais te tenho servido, e ir-me-ei; pois tu sabes o meu serviço, que te tenho feito.” (Gn. 30: 26). Mas a reação de Labão foi típica de um bom velhaco, fazendo um novo pacto com Jacó, pedindo que Jacó permanecesse com ele alegando cinicamente que estava sendo muito abençoado pelo Senhor através dos serviços prestados por Jacó, e ali deixando a critério de Jacó que determinasse o quanto queria como salário.  Porém Jacó nesse momento teve uma conversa franca com ele deixando-lhe uma forte interrogação, vejamos: “Então lhe disse: tu sabes como te tenho servido, e como passou o teu gado comigo. Porque o pouco que tinhas antes de mim, é aumentado até uma multidão: e o Senhor te tem abençoado por meu trabalho. Agora pois, quando hei de trabalhar também por minha casa? E disse ele: Que te darei? Então disse Jacó: Nada me darás” (Gn. 30: 29 a 31). Dali Jacó apresentou ao esperto Labão uma proposta como salário: “Passarei hoje por todo o teu rebanho, separando dele todos os salpicados e malhados, e todos os morenos entre os cordeiros, e os malhados e salpicados entre as cabras; e isto será o meu salário.” (Gn. 30: 32). Jacó ali estava no seu limite, pois durante todo o tempo só trabalhando para Labão em troca de duas mulheres e a comida, salário nem pensar, logrado por Labão o tempo todo. Ali Jacó sabiamente disse que nada queria de Labão pelos serviços passados e fez esta proposta de continuar apascentando e guardando o rebanho de Labão em troca dos cordeiros negros e das cabras malhadas e salpicadas, até que enfim ele teria um rebanho próprio. Só que dali para frente os que fossem nascendo seriam separados pela cor. Ali houve uma concordância imediata, porém Labão separou para si justamente os animais negros, malhados e salpicados que deveriam ser de Jacó e passou imediatamente aos seus filhos que os levou para muito longe, Jacó ficou bem quieto, pois Jacó era verdadeiramente um homem do campo e sabedor de muitos recursos ou técnica para fazer com que seu rebanho nascessem negros, malhados e salpicados. E ali durante seis anos seu rebanho se multiplicou e forte, saudável. A técnica de Jacó: “Então tomou Jacó varas verdes de álamo, e de aveleira e de castanheiro, e descascou nelas riscas brancas, descobrindo a brancura que nas varas havia, e pôs estas varas, que tinha descascado, em frente do rebanho, nos canos e nas pias de água, aonde o rebanho vinha a beber, e conceberam  vindo a beber. E concebia o rebanho diante das varas, e as ovelhas davam crias listradas,, salpicadas e malhadas.” (Gn. 30: 37 a 39).
8

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

LIÇÕES BÍBLICAS / FIRME NA PROMESSA! - Lição: 11

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor”.
Data: - 16 – 12 – 2018.     
Titulo da Lição:          FIRME NA PROMESSA!
Lição: 11
Texto Áureo: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja.” (Mt. 16: 16).
                                        
Leitura Bíblica em Classe:       107  – 377 -HC               (Sl 19: 1 a 14).

1 – OS céus manifestam a gloria de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.
2 – Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite, e uma noite mostra sabedoria a outra noite.
3 – Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes,
4 – Em toda a extensão da terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol.
5 – Que é qual noivo que sai do seu tálamo, e se alegra, como um herói, a correr o seu caminho
6 – A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até a outra extremidade deles; e nada se furta ao seu calor.
7 – A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma: o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices.
8 – Os preceitos do senhor são retos, e alegram o coração: o mandamento do senhor é puro, e alumia os olhos.
9 – O temor do Senhor é limpo, e permanece eternamente; os juízos do senhor são verdadeiros e justos juntamente.
10 – Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos.
11 – Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa.
12 – Quem pode entender os próprios erros? Expurga-me tu dos que me são ocultos.
13 – Também da soberba guarda o teu servo, para que se não assenhorei de mim: então serei sincero, e ficarei limpo de grande transgressão.
14 – sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, rocha minha e Libertador meu!

Título da Lição: FIRME NA PROMESSA!

Definição.  Estaremos nesta manhã dando continuidade a trajetória de Jacó, este moço escolhido por Deus para ter o grande privilégio de ser um instrumento nas mãos do Senhor Todo Poderoso. Jacó, separado desde o ventre de sua mãe Rebeca, para fazer cumprir a primeira Promessa de um Salvador feita lá no Jardim do Éden, quando aquele casal pecou, transgredindo a ordem do Criador para que não tocassem na Árvore que estava no meio do Jardim. Por esta razão, na virada da tarde como era de costume, o Senhor veio falar com Adão e Eva, mediante o comportamento de ambos o Senhor fez a primeira Promessa de um Salvador; “E disse o Senhor à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi. Então o Senhor disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a besta, e mais que todos os animais do campo: sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente: esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gn. 3: 13 a 15). Ali naquele exato momento foi feita a Primeira Promessa do Salvador Jesus Cristo. A Semente da mulher chamada Maria. Observemos algo também muito sério e que muitas vezes não atentamos, é a fala do Senhor diretamente ao animal que o próprio Adão deu o nome de serpente, pois este animal era brilhante, brilhava à luz do sol, o Senhor ali chamou a atenção da serpente quando Eva querendo se justificar dizia; a serpente me enganou; vejamos:“Então o Senhor disse a serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a besta, e mais que todos os animais do campo.” Isto então nos faz saber que, todos os animais também devem obediência ao Criador. Foram criados mansos para adornar o Universo, mas mediante o comportamento do homem, toda a natureza se revoltou. Não podemos esquecer também do primeiro sinal do Sangue dos cordeiros que foram imolados, e das peles, o Senhor fez túnicas para Adão e Eva. Este foi o sinal evidente da Promessa daquele que seria o Fundador da Igreja; Jesus Cristo! Voltando a Jacó ali naquela terra distante, após ter acordado daquele sonho Divino, disse: “Acordado pois, Jacó do seu sono, disse: Na verdade o Senhor está neste lugar; e eu não sabia. E temeu, e disse; Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos Céus.” (Gn. 28: 16, 17). Levantando-se Jacó, ainda de madrugada ele tomou aquela pedra que lhe serviu de cabeceira, e a pôs por coluna e derramou azeite sobre ela, e chamou aquele lugar de Betel. O significado da palavra Betel é; Casa de Deus. Interessante que dantes o nome daquela Cidade era Luz. Então ali foi sem sombra de dúvidas instituído o inicio da Igreja, seu primeiro membro foi Jacó, o mais importante; por Revelação Divina. Vejamos agora o proceder deste primeiro membro da Casa de Deus: “E Jacó votou um voto dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestidos para vestir; E eu em paz tornar à casa de meu pai, o Senhor será omeu Deus; E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.” (Gn. 28: 20 a 22). Perfeita, a atitude de Jacó nesta arrumação ordeira da Casa do Senhor,  naquele deserto, sem nenhum recurso financeiro, tudo por Fé. Interessante também foi a questão do voto que ele fez de, restituir tudo que o Senhor lhe desse para sobrevivência entregaria ao Senhor o dízimo, ali naquele deserto sozinho, tendo apenas a estrada para caminhar. Mas prossigamos, e ali como diz o texto; pôs-se Jacó a pé à terra dos filhos do oriente, ali chegando olhou e contemplou um poço no campo, e três rebanhos de ovelhas deitados junto ao poço. Ali era como um ponto de encontro, pois se juntavam todos os rebanhos de ovelhas e tiravam a tampa do poço e elas bebiam daquele poço. Jacó foi se aproximando daquele local cheio de sede, fome procurou se comunicar com os que ali estavam cuidando de seus rebanhos: “E disse-lhes Jacó: Meus irmãos, donde sois? E disseram: Somos de Harã. E ele lhes disse: conheceis a Labão, filho de Naor? E disseram conhecemos. Disse-lhes mais: Está ele bem? E disseram: Está bem, e eis aqui Raquel, sua filha, que vem com as ovelhas.” (Gn. 29: 4 a 6). Dali temos pouco relato do prosseguimento desta viagem, o certo é que Jacó chegou a terra dos filhos do Oriente. Ali ele chega a cidade de Harã cheio de vigor, certamente com sua alma alegre pelos lindos acontecimentos em Betel. E ali ante aquele poço houve o encontro com Raquel que, como Jacó era também pastora de ovelhas, e ele como pastor notou ali naquele campo  coisas bem diferentes na maneira de apascentar os rebanhos, ele percebeu que  o poço não ficava aberto até que todos os rebanhos bebessem, mas era um tal de abrir e fechar a tampa do poço, e ali Jacó não se conteve e quis saber a razão? Vejamos: “E ele disse: Eis que ainda é muito dia, não é tempo de ajuntar o gado; daí de beber as ovelhas, e ide apascenta-as. E disseram: Não podemos até que todos os rebanhos se ajuntem, e removam a pedra de sobre a boca do poço, para que demos de beber ás ovelhas.” (Gn. 29: 7, 8). Ali houve uma explicação da parte daquele pastores, o importante é que sentimos o zelo, o cuidado com os animais, pois ficavam ali curtindo sede por conta de protocolos. Um bom pastor zeloso foi Jacó, o primeiro membro, a primeira Igreja da Casa do Senhor! sim, pois o povo de Deus precisa aprender que: Nós não vamos à Igreja, nós somos a Igreja de Jesus que vai à Casa do Senhor. Mas prossigamos nesta história, no exato momento em que Jacó falava àqueles pastores chega Raquel com as ovelhas de seu pai, sabemos que Raquel era prima de Jacó: “E aconteceu que, vendo Jacó a Raquel, filha de Labão, irmão de sua mãe, chegou Jacó, e revolveu a pedra de sobre a boca do poço, e deu de beber às ovelhas de Labão, irmão de sua mãe. E Jacó beijou a Raquel, e levantou a sua voz e chorou.” Ali Jacó declarou a sua prima Raquel que era filho de Rebeca irmã de seu pai. Dali Raquel correu para casa com a noticia da chegada do parente. Ao chegar, Labão como era costume dos orientais ao ver Jacó abraçou-o, beijando-o, com alegria. Na hora da refeição em família, houve muita emoção por conta dos relatos de Jacó durante a sua viagem. Dali uma grande prova virá para Jacó...  

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

LIÇÕES BÍBLICAS / A LIBERDADE DA GRAÇA DIVINA! - Lição: 10

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor”.
Data: - 09 – 12 – 2018.     
Titulo da Lição:   A LIBERDADE DA GRAÇA DIVINA!
Lição: 10
Texto Áureo: “BENDIZE, ó minha alma, ao Senhor, e tudo que há em mim bendiga o seu santo nome.” (Sl. 103: 1).
                                        
Leitura Bíblica em Classe:       232  – 321 - HC               (Sl. 104: 1 a 22).

1 – BENDIZE, ó minha alma ao Senhor: Senhor Deus meu, tu és magnificentíssimo, estás vestido de gloria  e de majestade.
2 – Ele cobre-se de luz como de um vestido, estende os céus como uma cortina.
3 – Põe nas águas os vigamentos das suas câmaras; faz das nuvens o seu carro, anda sobre as asas do vento.
4 – Faz dos ventos seus mensageiros, dos seus ministros um fogo abrasador.
5 – Lançou os fundamentos da terra, para que não vacile em tempo algum.
6 – Tu cobres com abismo, como com um vestido: as águas estavam sobre os montes.
7 – À tua repreensão fugiram, á voz do teu trovão se apressaram.
8 – Sobem aos montes, descem aos vales, ate ao lugar que para elas fundaste.
9 – Limite lhes traçaste, que não ultrapassarão, para que não tornem mais a cobrir a terra.
10 – Tu, que nos vales fazes rebentar nascentes, que correm entre os montes.
11 – Dão de beber a todos os animais do campo; os jumentos monteses matam com ela a sua sede.
12 – Junto delas habitam as aves do céu, cantando entre os ramos.
13 – Ele rega os montes desde as suas câmaras: a terra farta-se do fruto das suas obras.
14 – Faz crescer a erva para os animais, e a verdura para o serviço do homem, para que tire da terra o alimento.
15 – E o vinho que alegra o coração do homem, e faz reluzir o seu rosto como azeite, e o pão que fortalece o seu coração.
16 – Satisfazem-se as árvores do Senhor; os cedros do Líbano que ele plantou.
17 – Onde as aves se aninham: quanto á cegonha, a sua casa é nas faias.
18 – Os altos montes são um refugio para as cabras monteses, e as rochas para os coelhos.
19 – Designou a lua para as estações: o sol conhece o seu ocaso.
20 – Ordenas a escuridão, e faz-se noite, na qual saem todos os animais da selva.
21 – Os leõezinhos bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento.
22 – Nasce o sol e logo se recolhem, e se deitam nos seus covis.

Título da Lição: A LIBERDADE DA GRAÇA DIVINA!

DefiniçãoPassaremos a meditar numa das histórias mais lindas e, de uma certa maneira, que requer em nós maior compreensão sobre os planos Divinos contidos nas Sagradas Escrituras. Segue-se a geração de Isaque filho de Abraão. Isaque na idade de quarenta anos, casa-se com Rebeca, filha de Betuel arameu de Padã-Arã, irmã de Labão arameu. E diz o texto Sagrado assim:“E Isaque orou instantemente ao Senhor por sua mulher, porquanto era estéril; e o Senhor ouviu as suas orações, e Rebeca sua mulher concebeu. E os filhos lutavam dentro dela; então disse: Se assim é, por que sou eu assim? E foi-se a perguntar ao Senhor. e o Senhor lhe disse: Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão das tuas entranhas, e um povo será mais forte do que o outro povo, e o maior servirá ao menor.” (Gn.25: 21 a 23). Daí Rebeca tomou conhecimento através do Senhor que; não seria fácil a criação daqueles meninos. E dali, diz o texto que; crescendo os meninos, Esaú foi varão perito na caça, varão do campo; mas Jacó era simples, habitando em tendas. Mas mediante a luta dentro do ventre de Rebeca, quem nasceu primeiro foi Esaú, todo peludo, depois vem o segundo que recebeu o nome de Jacó agarrado ao calcanhar de seu irmão, por isso  recebeu o nome de Jacó derivado do hebreu que, significa; aquele que segura pelo calcanhar. Mas dali, a promessa feita lá atrás a Abrão agora começa a se cumprir. São dois povos; o mais novo, o que nasceu por último, será mais forte; o que nasceu primeiro será mais fraco. E assim Jacó tornou-se o pai da Nação de Israel, e Esaú pai dos edomitas. A história Bíblica registra que essas duas nações irmãs foram sempre inimigas. Mas Israel sempre foi mais forte.  Nossos objetivos nesta lição na verdade, é meditar um pouco na missão que estava reservada a Jacó, pois Rebeca trazia em seu coração de mãe uma certeza absoluta de que na verdade Jacó seria o primogênito e não Esaú. E ela agiu segundo o seu coração, muitas vezes os designos de Deus são vedados ao nosso entendimento, para sermos estudantes das Sagradas Escrituras  se faz necessário estar cheios de Espírito Santo para não cairmos em contradição. Mas voltando aos acontecimentos dentro daquela família, vemos que além da convicção de Rebeca quanto a chamada de cada um de seus filhos, pois foi lhe  revelado pelo Senhor quando os meninos ainda estavam em seu ventre: “E o Senhor lhe disse: Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão das tuas entranhas, e um povo será mais forte do que o outro povo, e o maior servirá ao menor.” (Gn. 25: 23). Mas, vamos voltar ao ponto em que Esaú já havia vendido a sua primogenitura por um prato de lentilhas: Gn. 25: 29 a 33. Então Rebeca  preparou o guisado saboroso para que Jacó levasse a seu pai Isaque, o vestiu com as vestes de Esaú e ainda colocou peles de cabra nas suas mãos caso seu pai Isaque o apalpasse. Jacó temeu este disfarce e argumentou com sua mãe Rebeca, mas ela tomou para si esta responsabilidade, vejamos: “E disse-lhe sua mãe: Meu filho, sobre mim seja a tua maldição; somente obedece à minha voz.”  (Gn. 25: 13). E assim foi feito. Jacó recebeu a Benção de seu pai Isaque com todos os direitos da primogenitura. Mas parece que Esaú esqueceu que havia vendido sua primogenitura por um prato de lentilhas e foi requerer “seu direito’, e ali houve a grande confusão; pois Esaú prepara um guisado e trás a seu pai e ali Isaque descobre que foi enganado por Jacó, mas o que estava feito não se podia mais revogar. Foi quando Esaú se revolta contra seu irmão e argumenta com seu pai dizendo: “Não reservaste pois para mim bênção alguma? Então respondeu Isaque, e disse a Esaú: Eis que o tenho posto por senhor sobre ti, e todos os seus irmãos lhe tenho dado por servos: e de trigo e de mosto o tenho fortalecido; que te farei pois agora a ti meu filho?(Gn. 25: 37). Dali Esaú levantou a sua voz e chorou. Nesse momento, vemos com toda clareza o que o Senhor falou a Rebeca lá atrás antes deles nascerem, vejamos: “Então respondeu Isaque seu pai, e disse-lhe: Eis que a tua habitação será nas gorduras da terra e no orvalho dos céus do alto. E pela tua espada viverás, e ao teu irmão servirás. Acontecerá, porém, que quando te libertares, então sacudirás o seu jugo do teu pescoço.” (Gn. 25: 39, 40). Dali Esaú saiu completamente transtornado de ódio, e disse no seu coração: “e Esaú disse no seu coração: Chegar-se-ão os dias de luto de meu pai: e matarei a Jacó meu irmão.” (Gn. 25: 41: b). Estas palavras que Esaú pronunciou em seu coração, chegaram ao coração de Rebeca. Tudo isto em cumprimento do que o Senhor havia lhe dito antes deles nascerem, diz o texto que, foram denunciadas a Rebeca essas palavras de Esaú, mas quem denunciou? O Espírito Santo. Dali Rebeca chama a Jacó e lhe diz que fuja para Harã para a casa de seu irmão Labão. Havia ainda uma preocupação em Rebeca em relação ao futuro de Jacó e levou ao conhecimento de Isaque, o qual ordenou a Jacó; vejamos: “E ISAQUE chamou a Jacó, e abençoou-o, e ordenou-lhe, e disse-lhe: Não tomes mulher de entre as filhas de Canaã: Levanta-te, vai a Padã-arã, à casa de Betuel, pai de tua mãe, e toma de lá uma mulher das filhas de Labão, irmão de tua mãe;” (Gn. 28; 1, 2). E ali Isaque o abençoou, e profetizou, e foi uma Benção aquela despedida. Partiu pois,  Jacó de Berseba até Harã, seguindo as orientações de seus pais. Após longa caminhada já noite, lugar deserto, cansado tomou uma das pedras daquele lugar e a pôs por cabeceira, e deitou-se. E teve um sonho, e diz o texto que: “E sonhou: e eis uma escada era posta na terra, cujo topo tocava nos céus: e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela; E eis que o Senhor estava em cima dela, e disse: Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque: esta terra, em que estais deitado, ta darei a ti e à tua semente: E a tua semente será como o pó da terra, e estender-se-á ao ocidente,  e ao oriente, e ao norte, e ao sul, e em ti e na tua semente serão benditas todas as famílias da terra: E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra: porque não te deixarei, até que te haja feito o que te tenho dito.” (Gn. 28: 12 a 15). Aí está um Sinal Maravilhoso! Podemos dizer que; ali inicia-se a Igreja de Jesus! Pois pela manhã Jacó tomou a pedra, e a pôs por Coluna. Derramando nela o Azeite.