A PORTA ABERTA ESTÁ

A PORTA ABERTA ESTÁ
Culto de Doutrina - terças às 18:30 / Culto de Consagração - quartas às 09:00 / Culto de Libertação - quintas às 15:00 / Evangelização e Culto ao Ar Livre - sábados às 17:00 / Escola Dominical às 09:00 / Culto Público aos domingos às 18:00

Translate

domingo, 30 de agosto de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / RECONSTRUINDO O TEMPLO - Lição: 09

LIÇÕES BÍBLICAS

Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 30 – 08 – 2015.
Lição: 09.                                       Título da Lição
RECONSTRUINDO O TEMPLO
Texto Áureo: “ASSIM diz o Senhor ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela sua mão direita, para abater as nações diante de sua face; eu soltarei os lombos dos reis, para abrir diante dele as portas, e as portas não se fecharão.” (Is. 45: 1)
115   16 - HC.

 Leitura Bíblica em Classe:                        (Ag. 1: 1 a 10).

1 – NO segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia do mês, veio a palavra do Senhor pelo ministério do profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Sealtiel, príncipe de Judá, e a Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote dizendo:
2 – Assim fala o Senhor dos Exércitos dizendo: Este povo diz: Não veio ainda o tempo, o tempo em que a casa do Senhor deve ser edificada.
3 – Veio pois, a palavra do Senhor, pelo ministério do profeta Ageu, dizendo:
4 – É para vós tempo de habitardes nas vossas casas estucadas, e esta casa há de ficar deserta?
5 – Ora pois, assim diz o Senhor dos Exércitos: Aplicai os vossos corações aos vossos caminhos.
6 – Semeais muito, e recolheis pouco; comeis, mas não fartais; bebeis, mas não saciais; vestis-vos, mas ninguém se aquece, e o que recebe salário, recebe salário num saco furado.
7 – Assim diz o Senhor dos Exércitos: Aplicai os vossos corações aos vossos caminhos.
8 – Subi ao monte, e trazei madeira, e edificai a casa, e dela me agradarei; e eu serei glorificado, diz o Senhor.
9 – Olhastes para muito, mas eis que alcançastes pouco; e esse pouco, quando o trouxestes para casa, eu lhe assoprei. Por que causa? disse o Senhor dos Exércitos: por causa da minha casa, que está deserta, e cada um de vós corre à sua própria casa.

INTRODUÇÃO:
I- RECONSTRUINDO O TEMPLO
Definição: Ageu, é um dos profetas pós – cativeiro, os judeus voltaram daquele cativeiro de 70 anos em Babilônia. Agora sob a regência do Império Persa. O Senhor é Soberano e vai chamando para executar seu trabalho a alma que estiver Acesa. Por esta razão o Senhor chamou o rei Ciro da Persa (Ed. 1: 1 a 3; Is. 45: 1a 7). Assim é o nosso Senhor! Quando da saída do Egito o Senhor encontrou Moisés com a alma iluminada, mas na hora de findar o tempo do cativeiro determinado, a quem o Senhor poderia usar para tira-los da Babilônia? (Sl. 101: 6, 7), onde estavam os fieis? Mas voltando ao tema principal do livro de Ageu, o qual é: A Reconstrução do Templo. Acontece que, o povo que voltava do cativeiro estava a principio até um pouco animado, deram até inicio a construção, mas logo cessou a obra (Ed. 3: 1 a 3). Daí, cuidaram em refazer suas casas, e não reconstruir a Casa do Senhor que estava em ruínas. Logo no primeiro cap. no verso 2, vemos o descontentamento do Senhor, em estar sendo deixado para depois, ou seja, a reconstrução de sua Casa. LBC. Nessa profecia de Ageu pode-se tomar como exemplo para nós hoje, quando colocamos em primeiro lugar nossa vida pessoal, nossa casa, nossos filhos, os “netos” que não posso deixar de cuidar, e etc. Quanto às responsabilidades com a alma, ou seja: O trabalho em prol das almas perdidas, a começar pela nossa própria, a qual, se deve estar, todos os dias evangelizando-a, conversando com ela, e etc., isso vamos deixando para depois, mais tarde, ainda não é o tempo, mas ainda vai chegar o dia em que vou me dedicar totalmente ao Senhor e etc. Sabe quando esse tempo vai chegar? Nunca! (Sl. 126: 5, 6). E ali naquele pós - cativeiro que, aliás, parece que de nada adiantou o castigo, pois voltaram pior. Isto é o que nos diz o capitulo primeiro de Ageu. No livro de Esdras capitulo 4, é relatado com clareza, a razão pela qual a construção do Templo foi impedida. Após ter sido colocado os alicerces do Templo, estavam até um tanto entusiasmados, porém começa a oposição não da parte dos judeus, mas dos descendentes dos gentílicos, esses descendentes haviam sido trazidos pelo rei da Assíria que os fez habitar em Samaria. No lugar dos filhos de Israel. Então,
ali se casaram com israelitas, e por isso foram chamados de povo da terra”. Verso 3 de Ed. cap. 3. (II Rs. 17: 24 a 29). Aí aparece o resultado da mistura. Esta pressão, ou seja, a oposição à reconstrução do Templo, motivada pelo desejo de continuar na religião, a qual, estavam acostumados. Prestando culto ao Senhor, mas também servindo a outros deuses, mas não é isto o que está acontecendo? Nunca em tempo algum houve tanta mistura como nos tempos atuais no meio dos crentes. Muitos não querem construir o que é bom, não querem iluminar a sua própria alma, fazem questão de deixa-la bem apagada, pois assim não serão importunados pelo Senhor, claro, o Senhor é da Luz e não das trevas. Quantos crentes atuais estão dizendo: Me deixa quieto no meu canto. Mas voltando ao povo misturado que também está descrito em Esdras cap. 4: 1 a 3 usaram de uma tática, a de oferecerem ajuda para participar na obra de reconstrução, é uma tática diabólica, pois, a Luz não pode coabitar com as trevas. O Senhor ilustrou isto muito bem (II Co. 6: 14). Mas Zorobabel e os demais foram firmes com esses tais embusteiros. Acontece que a partir daí, eles usaram de uma, outra tática; agora seria a difamação vejamos: (Ed. 4: 11 a 24). Assim, a Obra da reconstrução ficou parada 16 anos, até que após as palavras proferidas pelo profeta Ageu no cap. 1 do livro em questão, a partir do verso 12, houve o despertar em Zorobabel e nos demais que estavam com ele, como diz o verso 14, o Senhor levantou o espírito de Zorobabel... E dali para frente não houve mais impedimento, muitas foram as promessas proferidas no capítulo 2: 1 a 9. A partir dos versos 10 a 23, o Senhor nos deixa uma Palavra muito forte, pois Ele faz algumas interrogações aos sacerdotes (pastores, líderes) muito sérias acerca da Lei da santificação: (Ag. 2: 10 a 19). Vemos que a situação ali estava feia, a miséria campeava por causa unicamente de uma coisa chamada: Desobediência. Mas, o mais incrível é que tinham voltado do cativeiro. Em todo este relato, podemos muito bem entender o seguinte: Todo esse requerimento do Senhor em relação ao seu povo, ou seja, a todo aquele que voluntariamente faz voto de o seguir, o mais importante é cumprir o Primeiro Mandamento: (Mt. 22: 37 a 40). Pronto, se assim não for, o resultado não será promissor. Mas como posso conseguir essa proeza? Quando eu recebo de VERDADE a Jesus como meu Único e Suficiente Salvador!

domingo, 23 de agosto de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / É TEMPO DE BUSCAR O SENHOR - Lição: 08

LIÇÕES BÍBLICAS

Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 23 – 08 – 2015.
Lição: 08.
Título da Lição
É TEMPO DE BUSCAR O SENHOR

Texto Áureo: “Buscai ao Senhor, vós todos os mansos da terra, que pondes por obra o seu juízo: buscai a justiça, buscai a mansidão; porventura sereis escondidos no dia da ira do Senhor.” (Sf. 2: 3)
314 – 179 – HC.
Leitura Bíblica em Classe: (Sl. 33: 8 a 20)

8 – Tema toda terra ao Senhor, temam-no todos os moradores do mundo.
9 – Porque falou, e tudo se fez, mandou, e logo tudo apareceu.
10 – O Senhor desfez o conselho das nações, quebranta os intentos dos povos.
11 – O conselho do Senhor permanece para sempre: os intentos do seu coração de geração em geração.
12 – Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para sua herança.
13 – O Senhor olha desde os céus e está vendo a todos os filhos dos homens;
14 – Da sua morada contempla todos os moradores da terra.
15 – Ele é que forma o coração de todos eles, que contempla todas as suas obras.
16 – Não há rei que se salve com a grandeza dum exército, nem o homem valente se livra pela muita força.
17 – O cavalo é vão para a segurança: não livra ninguém com a sua grande força.
18 – Eis que os olhos do Senhor estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia.
19 – Para livrar as suas almas da morte, e para os conservar vivos na fome.
20 – A nossa alma espera no Senhor: ele é o nosso auxilio e o nosso escudo.

I – E TEMPO DE BUSCAR O SENHOR!
Definição: A mensagem contida no livro do profeta Sofonias como todas contidas no Livro Sagrado (Bíblia), é abrangente a toda terra, e sempre atual, as mensagens vão acompanhando tanto a evolução, como os avanços em todas as esferas. São avanços tecnológicos, são avanços degradantes da moral, avanços na violência seguidos de criminalidades bárbaras, em fim, tudo isto são consequências que a humanidade vem contemplando e sofrendo em sua própria vida cotidiana. Mas o conteúdo do livro que passamos a meditar, trás uma mensagem de julgamento, e também de incentivo da parte do Senhor Deus, àqueles que se propõe a reconhecer que é tempo de se tomar uma posição diante do Único Deus Verdadeiro, Aquele que enviou o Seu Único filho a morrer por uma humanidade perversa, corrupta, foi a Promessa feita lá no Éden, após o pecado que deu origem a toda esse sistema que hoje vivenciamos (João 3: 16). Mas nesse livro do profeta Sofonias contém três quesitos principais: 1º) – Deus é Soberano sobre todas as nações. 2º) – Os ímpios serão punidos e os justos serão recompensados no dia do julgamento. 3º) – Deus abençoa aqueles que se arrependem e confiam nEle. Portanto, é tempo de buscar ao Senhor, aliás, é o que nos diz o verso 3 do cap. 2 do livro em questão: “Buscai o Senhor, vós todos os mansos da terra...”. Quem são os mansos da terra? O Senhor considera manso, todo aquele que procura através de uma vida reta, digna, sem mistura, sem vícios de espécie alguma, que não anda segundo o conselho dos devassos, mas antes tem a sua lei no Senhor e nela medita de dia e de noite, que não usa sua boca para pronunciar palavra alguma que venha ferir a moral e os bons costumes, em fim que possa fazer parte da Nação cujo Deus é o Senhor. Não se deve entregar-se a nenhum seguimento religioso, mas sim: Entregar o seu caminho ao Senhor, confiar somente Nele. Nenhuma religião foi criada por Deus, Ele ao enviar Seu Filho Jesus Cristo para cumprir na cruz a Promessa de um Salvador, não mostrou-nos nenhuma religião, mas sim um Caminho de Paz. (Jesus Cristo). Porventura o mundo atual com tantas religiões, tantas seitas, tantas cabanas de “evangélicos”, está porventura tendo paz? Certamente a resposta é NÃO! Por quê? Porque o povo complica o que é certo, opta sempre pelo errado, contrariando sempre os preceitos Divinos.   Jesus...disse com muita clareza: Eu sou o caminho, a verdade e a vida (João 14: 6). Portanto a razão de tanta devassa no mundo desde os tempos Bíblicos, em especial, nesta manhã, em que estamos meditando o livro do profeta Sofonias, onde o Senhor ali muito entristecido com aquele povo que foi tirado com tanto amor das garras da escravidão, e trazido para uma terra boa, para viver sob os cuidados diretamente Dele, o mesmo que Ele ainda quer fazer com todo aquele que disser: Eis-me aqui. Sofonias pronuncia o juízo final do Senhor sobre toda a terra. Citando também o remanescente dos judeus que atualmente estão espalhados por todo o mundo, mas, chegará o dia em que contemplarão os feitos de Jesus e reconhecerão que só Nele há salvação! A mensagem contida no livro de Sofonias abrange também a Vinda de Jesus com Poder e Grande Gloria! Nesse dia, poucos alcançarão a vida eterna com Cristo nos Céus. Vejamos as palavras ditas pelo próprio Cristo: “Porém daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas unicamente meu Pai. E como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do filho do homem. Porque, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca.  (Mt. 24: 36, 38). Assim, nos três capítulos do livro de Sofonias fica bem clara a questão sobre a advertência ao povo, mensagem atualíssima, estamos vivendo em meio a esse sistema de coisas, o povo não aguentando mais, vai às ruas protestar contra os desmandos governamentais, de nada vai adiantar, infelizmente, pois os que governam já há muito expulsaram, ou nunca houve em suas vidas o mínimo de temor a Deus. Desde o principio o Senhor desejou ser sempre o nosso Rei, mas o próprio povo pediu um rei terreno, isto está escrito lá no livro do profeta Samuel. Naquele tempo havia Juízes na terra orientados pelo Senhor Deus para julgar as causas de seu povo, mas o povo sabendo que em outras terras haviam reis desejou também tere um rei (I Sm. 8: 1 a 8). Nesse texto podemos muito bem sentir a reação do Senhor, pois o povo como nos diz o texto sempre rejeitou o Zelo do Senhor. Infelizmente o povo sempre gostou de libertinagem. Vemos claramente o que fizeram do Evangelho, quando havia pastores, havia Doutrina, havia Temor, hoje não há mais pastores na terra, o que se vê hoje?   Um bando de mercenários transgressores da Santa Palavra.

domingo, 16 de agosto de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / JEOVÁ, É MINHA FORÇA! - Lição: 07

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 16 – 08 – 2015.
Lição: 07.                                      Título da Lição
JEOVÁ, É MINHA FORÇA!
Texto Áureo: “SOBRE a minha guarda estarei, e sobre a fortaleza me apresentarei e vigiarei, para ver o que fala comigo, e o que eu responderei, quando eu for arguido.” (Hc.2: 1)
103 – 146 – HC
Leitura Bíblica em Classe: (Hc. 1: 1 a 10).

1 – O PESO que viu o profeta Habacuque.
2 – Até quando, Senhor, clamarei eu, e tu não me escutarás? gritarei: Violência! e não me salvarás?
3 – Por que razão me fazes ver a iniquidade, e ver a vexação? porque a destruição e a violência estão diante de mim; há também quem suscite a contenda e o litígio.
4 – Por esta causa a lei se afrouxa, e a sentença nunca sai; porque o ímpio cerca o justo, e sai o juízo pervertido.
5 – Vede entre as nações, e olhai, e maravilhai-vos, e admirai-vos: porque realizo em vossos dias uma obra, que vós não crereis, quando for contada.
6 – Porque eis que suscito os caldeus, nação amarga e apressada, que marcha sobre a largura da terra, para possuir moradas não suas.
7 – Horrível e terrível é, dela mesma sairá o seu juízo e a sua grandeza.
8 – Os seus cavalos são mais ligeiros do que os leopardos, e mais perspicazes do que os lobos à tarde; os seus cavaleiros espalham-se por toda a parte; sim, os seus cavaleiros virão de longe, voarão como águias que se apressam à comida.
9 – Eles todos virão com violência: os seus rostos buscarão o oriente, eles congregarão os cativos como areia.
10 – E escarnecerão dos reis, e dos príncipes farão zombaria: eles se rirão de todas as fortalezas, porque, amontoarão terras, as tomarão.

INTRODUÇÃO

I – JEOVÁ, É MINHA FORÇA!
Definição: Habacuque significa “abraço”, esse livro que leva o nome do profeta, contém apenas três capítulos, é na verdade um pouco diferente dos demais, pois não há por parte de Habacuque, nenhum tipo de profecia contra ou a favor desta, ou daquela nação. Os escritos nos mostra sim, um belo diálogo, entre o Senhor e Habacuque, através da visão que é mostrada a ele. Então Habacuque inicia o livro fazendo interrogações ao Senhor, à medida em que ia contemplando a visão. Mais uma vez podemos nós hoje contemplar a mesma situação, não só em nosso país, mas em todo o mundo. O capítulo 1 é tudo que estamos vivenciando, e quantas vezes fazendo nossas orações pela pátria, repetimos essas mesmas palavras: até quando Senhor? Aprendamos nesta manhã de uma vez por todas, que não se deve fazer mais este tipo de interrogação ao Senhor. Pois, Ele está no comando de tudo, mas devemos procurar sim, estar no Caminho, e na Verdade, só assim teremos condições de compreender a questão da semeadura. (Gl. 6: 7, 8). Mas voltando a Habacuque, ele ali inicia o livro interrogando a Deus e pedindo socorro, como que cansado de contemplar tanta violência na terra, ele ali como nós hoje, contemplava as Leis da terra enfraquecendo e o direito das pessoas distorcido (Hc. 1: 2 a 4). A resposta da parte do Senhor foi para ele um pouco confusa, pois a partir dos versos 5 a 11, ouviu da parte do Senhor uma promessa que o aterrorizou, pois dessa maneira a coisa iria piorar muito. No entender do profeta, o tal invasor descrito no verso 6, era terrível, certamente não viria para corrigir os desmandos, mas sim para acabar de destruir o pouco que restava de dignidade na terra. Assim, Habacuque continua esperando da parte do Senhor uma resposta que o satisfaça. Nos versos 12 a 17 Habacuque continua a falar com Deus em forma de oração, um tanto enaltecendo ao Senhor, mas podemos ver claramente uma oração de tristeza, penalizado por um povo que sempre andou na desobediência diante do Senhor. Mais uma vez devemos lembrar que o Senhor está no controle de tudo! No capítulo 2: 1, Habacuque mais calmo, renova seus votos ao Senhor dizendo que continuaria leal ao Senhor aguardando qual seria a fala do Senhor, e se preparando na questão; o que diria ao Senhor quando fosse por ele argumentado. Nesse clima o Senhor fala, mas na aflição não tem como entendermos os desígnios Dele.  Então vemos que quando Habacuque se acalmou, a resposta da parte do Senhor veio. (Hc. 2: 1 a 4). Certamente ele entendeu que em meio a toda essa devassa mundial, há um povo que foi justificado (salvo) da corrupção, vivendo, e crendo somente nos Escritos Sagrados, automaticamente cumprindo os Mandamentos. No verso 4, o Senhor em poucas palavras diz ao profeta que; a razão de tanta desgraça na terra, vem da alma humana que se incha, inchar-se diante do Senhor é afrontá-lo, e isto o Senhor não suporta, uma das piores coisas que pode acontecer na vida de alguém é a afronta contra as coisas celestiais. E isto é o que mais se vê em todo o mundo, nada diferente dos tempos de Habacuque. Hoje vemos e ouvimos pessoas que se dizem cultas blasfemando contra a Palavra de Deus (Bíblia Sagrada), os comunicadores das redes televisivas se referem à Bíblia como sendo um livro de contos de fadas, a presidenta da republica deseja que se retire das bibliotecas escolares a Bíblia Sagrada, os símbolos sagrados já há muito foram retirados das repartições publicas, inclusive há uma carga serrada contra os ensinamentos nas Escolas de Ensino Infantil e Fundamental sobre Deus. E são várias e várias investidas contra a PALAVRA DE DEUS. Mas voltando a história no livro de Habacuque, o Senhor disse, e continua dizendo que, o pior ainda está por vir (Hc. 2: 3). Dali Habacuque vai discorrendo do verso 5 a 20 em forma de profecia, quais as razões de tanta desgraça na terra? Começando pelos vícios das drogas,  (versos 5 a 8), nesses versículos fica tão clara a terrível situação atual. (versos 9 a 20). Em fim, todos esses versículos retratam a triste situação atual. A causa é uma só: O afastamento de Deus no meio da humanidade. Os crentes envolvidos, desde a famigerada política, ao tráfego, cada “pastor” com sua doutrina particular. No capitulo 3 Habacuque agora bem alegre canta no Templo, transmitindo sua alegria diante do Senhor, não há confirmação de que era levita, mas que a oração dele foi em forma de canto, pois encontramos dentro deste capitulo três pausas musicais, e com seus instrumentos de música. Com alegria ele diz que ainda que não houvesse mais nada, se alegraria no Senhor! 

domingo, 9 de agosto de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / O SENHOR, FORTALEZA NO DIA DA ANGUSTIA - Lição: 06

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 09 – 08 – 2015.
Lição: 06.                Título da Lição
O SENHOR, FORTALEZA NO DIA DA ANGUSTIA
Texto Áureo:
“Eis sobre os montes os pés do que trás boas novas, do que anuncia a paz.” (Na. 1: 15).
                                             
                                     254 – 272- HC
Leitura Bíblica em Classe:                    (Na. 1: 1 a 10)
1 – PESO de Nínive. Livro da visão de Naum, o elcosita.
2 – O Senhor é um Deus zeloso e que toma vingança, o Senhor toma vingança e é cheio de furor: o Senhor toma vingança contra os seus adversários, e guarda a ira contra os seus inimigos.
3 – O Senhor é tardio em irar-se, mas grande em força, e ao culpado não tem por inocente: o Senhor tem o seu caminho na tormenta, e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés.
4 – Ele repreende o mar, e o faz secar, e esgota todos os rios; desfalecem Basã e Carmelo, e a flor do Líbano se murcha.
5 – Os montes tremem perante ele, e os outeiros se derretem; e a terra se levanta na sua presença; e o mundo, e todos os que nele habitam.
6 – Quem parará diante de seu furor? e quem subsistirá diante do ardor da sua ira? a sua cólera se derramou como um fogo, e as rochas foram por ele derribadas.
7 – O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angustia, e conhece os que confiam nele.
8 – E com uma inundação transbordante acabará duma vez com o seu lugar, e as trevas perseguirão os seus inimigos.
9 – Que pensais vós contra o Senhor? ele mesmo vos consumirá de todo: não se levantará por duas vezes a angústia.
10 – Porque, ainda que eles se entrelacem como os espinhos, e se saturem como de vinho como bêbados, serão inteiramente consumidos como palha seca.


INTRODUÇÃO

I – O SENHOR, FORTALEZA NO DIA DA ANGUSTIA
Definição: Naum, significa: consolador, ou confortador. Naum trás uma mensagem muito forte da parte do Senhor. Logo de inicio nos deparamos com as palavras: PESO de Nínive, em seguida transmite toda a mensagem que o Senhor  coloca em seus lábios, e discorre sobre o Zelo que Deus tem para com seus filhos diante de seus adversários. O qual Ele toma vingança. Assim tem inicio o Oráculo contra a cidade de Nínive. Jonas havia estado em Nínive ha um século e meio atrás, (150 anos) e como aprendemos no livro de Jonas toda aquela cidade se converteu ao Senhor. Isto está confirmado em Mateus cap. 12: 41. Deixando bem claro que toda aquela geração está salva. Mas o tempo passou e, novas gerações foram crescendo e as mesmas práticas perversas foram sendo retomadas, as mesmas perseguições contra Israel, contra Judá renasce. Naum, dentre os profetas de mensagens curtas, mas de grande conteúdo, entrega da parte do Senhor uma advertência a Nínive, não com a finalidade, ou seja, esperando que houvesse arrependimento naquela cidade, por parte daquela gente, mas sim de condenação, destruição total. Naum consola o povo de Judá dizendo que aguardassem o que o Senhor iria fazer, contra todos aqueles que usavam de injustiça contra seu povo. Portanto a ruína de Nínive foi inevitável, desta vez não houve salvação naquela cidade, mas sim uma destruição total (Na. 3: 1 a 4). Vemos a triste situação, novamente o mesmo quadro de nossos dias, havia ali, mentiras, roubo, mortandades através dos crimes hediondos, feitiçarias. Dos versos 5 a 10, fica claro que Nínive foi levada ao cativeiro de Babilônia, todo aquele apogeu, o esplendor dos imperadores da Assíria, sofrem extinção, e fica agora sob o domínio de Babilônia. Esta mensagem do livro de Naum, trás hoje para nós uma bela retratação dos dias que se seguem neste sistema de coisas que estamos presenciando em nosso dia a dia. A estrutura do livro nos fala sobre três situações que nos dá o que pensar: 1° - O Juízo de Deus no meio dessa geração em todo o mundo. Estamos vivendo os últimos dias em que ainda podemos usufruir da Justiça Divina. A Justiça divina está em Jesus o Cristo que deu sua vida para que essa humanidade pudesse alcançar a vida eterna. Em outras palavras: A Justiça de Deus representa o perdão pelos pecados cometidos e arrependidos. Mas para que isto aconteça é necessário que haja o reconhecimento do que é pecado. Já há muito que, não há esse reconhecimento, o chamado povo de Deus na terra já não sabe mais distinguir as coisas que são contrárias a vontade do Senhor, não há mais quem ensine a Palavra do Senhor, este tempo presente nos faz lembrar de João Batista, quando vinha pelo deserto pregando o arrependimento (Mt. 3: 1 a 8), essa fala era dirigida ao povo que estava todo desnorteado por conta do silencio que o Senhor fez durante 400 anos. Mas no verso 7e 8 João chama a atenção dos responsáveis da Lei, eles vinham ao batismo de João para assistir, e João aproveitou esta oportunidade e falou fortemente a eles, pois eram aqueles tais quem tinham a responsabilidade de transmitir ao povo os ensinamentos da Lei. No verso 8, João Batista deixa muito clara a questão dos frutos que eles estavam produzindo, o povo estava sendo levado a perdição, exatamente o que acontece atualmente, esses frutos são o povo sem o ensinamento da Palavra, os Mandamentos da Lei de Deus. É uma responsabilidade muito grande a condução de um povo sob os preceitos do Senhor. 2º- A Queda – Infelizmente já se pode contemplar a queda do povo que se diz crente em Jesus, aliás, até quando ficarão na condição de crente? Crente até o diabo é. Diz as Sagradas Escrituras que, Jesus vem buscar a Igreja, noiva, pura, imaculada. Os crentes estão numa condição muito ruim, pois há uma mistura muito grande, não há mais aquele sinal do sangue de Jesus, há uma devassa no meio desse povinho crente, falsos pastores por toda parte arrancando dinheiro dos trouxas, sem se falar nas tais pastoras, coisa inventada pelo diabo, e o povo que não quer nada com a Verdade (Palavra do Senhor) vai seguindo um caminho que jamais será o Caminho, a Verdade e a Vida, ou seja: JESUS CRISTO! Mas quando o Senhor desistir dessa geração como desistiu de Nínive acontecerá a terceira situação: 3º - O lamento – haverá  lamentação, pois após o arrebatamento da IGREJA seguir-se-á a grande tribulação. Vemos na mensagem profética de Naum, uma referência aos que confiam Nele, em meio a devassa no meio dos crentes, estão alguns poucos, mas que ainda procuram conservar os preceitos do Senhor. Estes serão poupados. “O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele.” (Na. 1: 7). PENSEM NISSO!

domingo, 2 de agosto de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / FELIZ A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR - Lição: 05


                                                LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 02 – 08 – 2015.
Lição: 05.                                   Título da Lição
FELIZ A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR
Texto Áureo:
“Porque eis que o Senhor sai do seu lugar, e descerá, e andará sobre as alturas da terra” (Mq. 1: 3).
                                                    162 – 158 - HC         
Leitura Bíblica em Classe:                       (Mq. 2: 1 a 10)
1 – AI daqueles que nas suas camas intentam a iniquidade e maquinam o mal: à luz da alva o praticam, por que está no poder da sua mão.
2 – E cobiçam campos, e os arrebatam, e casas, e as tomam: assim fazem violência a um homem e à sua casa, a uma pessoa e à sua herança.
3 – Portanto, assim diz o Senhor: eis que projeto um mal contra essa geração, do qual não tirareis os vossos pescoços; e não andareis tão altivos, porque o tempo será mau.
4 – Naquele dia se levantará um provérbio sobre vós, e se levantará pranto lastimoso, dizendo: Nós estamos inteiramente desolados! a porção do meu povo ele a troca! como me despoja! tira os nossos campos e os reparte!
5 – Portanto, não terás tu na congregação do Senhor quem lance o cordel pela sorte.
6 – Não profetizeis, os que profetizam, não profetizem deste modo, que não se apartará a vergonha.
7 – Ó vós que sois chamados a casa de Jacó, tem-se restringido o Espírito do Senhor? são estas as suas obras? e não é assim que fazem bem as minhas palavras ao que anda retamente?
8 – Mas há pouco se levantou o meu povo como um inimigo: de sobre a vestidura tirastes a capa daqueles que passavam seguros, como homens que voltavam da guerra.
9 – Lançastes fora as mulheres do meu povo, da casa das suas delicias: dos seus meninos tirastes o meu louvor para sempre.


INTRODUÇÃO

I – FELIZ A NAÇÃO CUJO DEUS E O SEHOR
Definição: O livro de profeta Miqueias retrata muito bem a situação em que se encontravam Israel e Judá nos anos 740 e 690 a. C. Miqueias profetizou num período, ou seja, durante três reinados; Reis: Jotão, Acaz e Ezequias, reis de Judá. Estes reis eram diferentes entre si. 1° - Jotão, foi um bom rei: (2 Cr. 27: 1 a 6), mesmo assim o povo se corrompia. 2º - Acaz, filho de Jotão, foi um dos piores reis de Judá (2 Cr. 28: 1 a 4). 3º - Ezequias, foi um dos melhores reis, (2 Cr. 29: 31, 32). Mas voltando a profecia contra Israel e Judá, esta começa através do profeta Miqueias por conta do descontentamento do Senhor para com o seu povo. Como sempre, a maldita rebelião contra as Leis Divinas. Então veio a Palavra do Senhor a Miqueias nos dias destes três reis, (Mq. 1: 2), houve aí uma chamada da parte do Senhor para que o povo prestasse bem atenção na Palavra que estava sendo transmitida pelo profeta. É bom lembrar que nessa ocasião estava ocorrendo o mesmo que ocorre em nossos dias, ou seja, as injustiças sociais, a carestia, os abusos dos líderes políticos e religiosos etc. Vamos analisar três pontos centrais da profecia de Miqueias: a) - A profecia é contra os dirigentes da nação, porque eram os responsáveis das desigualdades sociais. b) - O comércio do que era Sagrado pelos que se diziam sacerdotes. c) - Contra o povo que se acomodou, concordando com tudo que se dizia profano. Igualzinho os dias atuais, ao invés de denunciar, ou não compactuar com o sistema, muito pelo contrário, o povo adere e participa das “benesses”. Entrando assim na plena desobediência aos preceitos do Senhor. Obs., estamos falando do chamado povo de Deus (os crentes). Vejamos o descontentamento do Senhor para com o seu povo (Mq. 1: 1 a 9): O Senhor começa dando referencias sobre o profeta, citando sua terra de origem Morosete-Gate, e os reis citados logo no inicio do livro. Dos versos 2 a 7 – nos relata o texto que o Senhor desce para testemunhar contra os povos, só que, logicamente o Senhor não coloca seus pés na terra, mas anda sobre as alturas da terra. E quando isso acontece a presença Dele causa calamidades na terra. (versos 4, 5), e aí começam a acontecer certas coisas, ou seja, desastres naturais. Mas o povo continua alheio a tudo, na prática dos seus delitos, transgredindo contra o SANTO. O verso 5 nos deixa bem claro quais as razões destes transtornos: São as transgressões do povo de Deus. Tempos de Miqueias, tempos atualíssimo. O afastamento das coisas que são do Alto tem proporcionado todas as desgraças decorrentes no mundo inteiro. Penso que agora em nossos dias, está bem pior do que nos tempos Bíblicos do profeta Miqueias, pois o povo gentio (de todo o mundo) que foram alcançados pelo sofrimento de muitos, homens e mulheres (discípulos do Senhor), que deram suas vidas em prol do Evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, sem se falar do grande sacrifício do Cristo na cruz, derramando Seu Precioso Sangue  para que esse Evangelho chegasse até nós, e dele não fizeram caso algum. Só prevalecem: “O perjurar, e o mentir e o matar, e o furtar, e o adulterar, e há homicídios sobre homicídios.” (Os. 4: 2). Sem se falar nos abusos do comércio dentro dos templos para que seus líderes, falsos pastores enriqueçam às custas do povinho trouxa, que por sua vez não quer nada com a Verdade. É por isto que hoje vemos toda terra se lamentando, os noticiários estão aí, cada país deste mundo podemos comparar a um grande navio que está dia a dia se afundando. Grécia, Brasil e outros, e muitos outros. Não tenhamos ilusão, todo o Universo já foi atingido por esta devassa. Para tristeza do Senhor, os antigos líderes, principalmente os da extinta Igreja Assembleia de Deus se corromperam, deixaram os Templos e se enfiaram na corriola da política, a cobiça falou bem mais alto que a chamada do Senhor. Eis a razão de tanta calamidade neste mundo. Dando prosseguimento à lição de hoje, o profeta Miqueias lamenta o sofrimento do povo, porque via que a chaga do povo era incurável (Mq. 1: 7a 9). E nós hoje também podemos crer que, daqui para frente é o fim, pois como diz o verso 9 de nossa leitura Bíblica em classe, “Lançastes fora as mulheres do meu povo, da casa das suas delicias: dos seus meninos tirastes o meu louvor para sempre”. (Mq. 2: 9). Isto é uma realidade, principalmente no que se refere aos meninos e meninas, sendo o Brasil um país laico, está proibido falar às crianças sobre Deus, principalmente nas escolas, os preceitos Divinos não podem jamais fazer parte dos currículos escolares. Então não esperemos dias melhores, pois não virão. E na terra continuará o lamento.