A PORTA ABERTA ESTÁ

A PORTA ABERTA ESTÁ
Culto de Doutrina - terças às 18:30 / Culto de Consagração - quartas às 09:00 / Culto de Libertação - quintas às 15:00 / Evangelização e Culto ao Ar Livre - sábados às 17:00 / Escola Dominical às 09:00 / Culto Público aos domingos às 18:00

Translate

domingo, 26 de abril de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / SALMOS OU SALTERIO? - Lição: 04


LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 26 – 04 – 2015.
Lição: 04.                                  Título da Lição
SALMOS OU SALTERIO?
  
Texto Áureo: “Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus enquanto viver.” (Sl. 146: 2)
388 – 10 – HC

Leitura Bíblica em Classe: (Sl. 119: 1 a 13)

1 – BEM-AVENTURADOS os que trilham caminhos retos, e andam na lei do Senhor.
2 – Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e o buscam de todo o coração.
3 – E não praticam iniquidade, mas andam em seus caminhos.
4 – Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos.
5 – Oxalá os meus caminhos fossem dirigidos de maneira a poder eu observar os teus estatutos.
6 – Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos.
7 - Louvarte-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido os teus mandamentos.
8 – Observarei os teus estatutos: não me desampares totalmente.
9 – Como purificará o mancebo o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.
10 – De todo o meu coração te busquei: não me deixes desviar dos teus mandamentos.
11 – Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.
12 – Bendito és tu, ó Senhor, ensina-me os teus estatutos.
13 – Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca.


INTRODUÇÃO

I – SALMOS OU SALTERIO?
Definição: A origem do nome Salmos vem de saltério – antigo instrumento musical de cordas. Salmos é o segundo livro poético, na poesia hebraica não existe rima, segundo estudos, o hebreu tinha uma grande preocupação em repetir palavras para que ficassem bem claros os seus pensamentos. Os salmistas escreviam os salmos e os transformavam em louvores e orações. Encontramos mais de 70 vezes uma palavra espalhada entre os 150 Salmos entre parênteses chamada (Selá), essa palavra é uma nota musical que representa uma pausa no final de cada estrofe. Por exemplo: no Sl: 3 ela aparece no último verso: “A salvação vem do Senhor; sobre o teu povo seja a tua benção”. (Selá.) No Sl 4, essa pausa aparece 2 vezes: no final do verso 2 e verso 4. Classificação dos Salmos por assunto - INSTRUÇÃO: Salmos. 1, 19, 39. LOUVOR: 8, 29, 93, 100. AÇÕES DE GRAÇAS: 30, 65, 103, 107, 116. CONFIÇÃO: 6, 32, 38, 51, 102, 130, 143. Confiança: 3, 27, 31, 46, 56, 62, 86. ANGUSTIA: 4, 13, 55, 64, 88. ASPIRAÇÃO: 42, 63, 80, 84, 137. HISTÓRIA: 78, 105, 106. PROFECIA: (Salmos messiânicos), 2, 16, 22, 24, 40, 45, 68, 69, 72, 97, 110, 118. Podemos considerar o Salmo primeiro como sendo uma introdução ou até mesmo como um resumo não só dos salmos, mas de toda a Escritura. São apenas seis versículos porem contém uma grande riqueza de instruções de forma muito linda, poética, e promissor. Os dois Salmos seguintes Concluem a introdução. Observemos Alguns Salmos: Os Salmos onde o Senhor se recorda de alguns fatos e sustém o seu povo. Por exemplo, dos Salmos 90 a 106, apresentam uma referência ao passado de Israel como forma de consolo para a catástrofe do exílio. E relata as principais obras do Senhor pelo povo, dando sempre uma esperança, ou seja, fazendo sempre com que o salmista tenha essa esperança Nele. O Salmo 90 é de autoria de Moisés, em forma de oração, retratando ali a deficiência do homem, a dificuldade no dia a dia de se estar em retidão diante do Senhor. Nos Versos 9 a 12, ele demonstra uma preocupação para com o povo e também se colocando como tal, sobre o tempo que vai passando muito rápido, e isto é verdade, Ali Moisés faz uma
Comparação até de uma forma poética quando diz no verso 9: “Pois todos os nossos dias vão passando na tua indignação; acabam-se nossos anos como um conto ligeiro”. O Salmo 91 ficou famoso entre os inconsequentes, pois sem discernir o conteúdo do Salmo vão usando-o como até mesmo amuleto, deixando o Livro Sagrado aberto em casa sobre uma mesa ou outro móvel qualquer. Isto se chama HERESIA, Devemos ter sim nossa Bíblia sobre o móvel, porém fechada, pois representa: Deus Presente, e somente abri-la nos momentos devocionais. Aliás, o Salmo primeiro nos recomenda a meditar sobre os Escritos Sagrados pelo menos duas vezes ao dia. Mas voltando ao Salmo 91, vemos que este Salmo é composto de 16 versículos, todos de promessas profundas, promessas de verdadeiros livramentos totalmente espirituais, ocultos ao nosso entendimento, mas existe uma condição para que se recebam todas essas benesses, e lá bem no inicio do Salmo, é justamente no primeiro versículo que está a condição: “AQUELE que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.” Este habitar no esconderijo do Altíssimo representa a total abnegação ao Senhor, ou seja, a submissão aos seus Mandamentos, estar firme na Doutrina, estar escondido com Cristo, pensando nas coisas que são de cima... (Col. 3: 2, 3). Portanto estar escondido é estar resguardado pelo Senhor na hora da tentação. Mais um Salmo para nos alegrar, vêm agora o 93, novamente são aplicadas verdades antigas já ilustradas no Salmo 89 onde o Senhor fala até sobre festas, o som festivo e chama de bem-aventurado o povo que conhece o som festivo (Sl. 89: 15,16). Os Salmos 104 a 106 entram num sumário histórico comemorando a Criação de Deus e o cuidado com a terra prometida. Mas muito interessante, são os três primeiros versículos do Salmo 106: Nos dois primeiros ele faz interrogações, no terceiro Ele requer conhecimentos, e é citado o direito. E diz: “Bem-aventurados os que observam o direito, o que pratica a justiça em todo os tempos.” Esse termo chamado direito significa saber andar com equidade, respeitando sempre o direito do próximo com justiça. Os Salmos 146 a 150. Vamos encerrando nosso estudo de hoje com o Belíssimo Salmo 146: 2. “Louvarei ao Senhor durante a minha vida. Cantarei louvores ao meu Deus enquanto viver.”

domingo, 19 de abril de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / SATANÁS O ACUSADOR - Lição: 03

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 19 – 04 – 2015.
Lição: 03.                Título da Lição
SATANÁS O ACUSADOR
  
Texto Áureo: “Porque eu sei que o meu Redento vive, e que por fim se levantará sobre a terra.” (Jó. 19: 25).
                                                      HINOS SUGERIDOS: 
28 – 110 – HC

Leitura Bíblica em Classe: (Jó1: 6 a 12).
4 – E iam seus filhos, e faziam banquetes em casa de cada um no seu dia; e enviavam, e convidavam as suas três irmãs a comerem e a beberem com eles.
5 – Sucedeu, pois que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocausto segundo o numero de todos eles; porque dizia Jó: porventura pecaram meus filhos, e blasfemaram de Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente.
6 – E vindo um dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.
7 – Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela.
8 – E disse o Senhor a Satanás: observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero e reto, temente a Deus e desviando-se do mal.
9 – Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse: Porventura teme Jó a Deus debalde?
10 – Porventura não cercaste tu de bens a ele, e a sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste e o seu gado está aumentando na terra.
11 – Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema de ti na tua face.

INTRODUÇÃO

I – SATANÁS O ACUSADOR
Definição: Nesta manhã após passar pelo Pentateuco, pelos livros Históricos que são doze: de Josué a Ester, meditaremos um pouco no livro de Jó, dando inicio a coleção dos livros Poéticos que são cinco: O titulo da lição se refere ao que está escrito em Apocalipse 12: 10: Este relato é feito pelo Apóstolo João, quando desterrado na Ilha de Patmos, após ter sido mergulhado num tonel de óleo fervente. João ouviu uma grande voz no céu que dizia: “Agora chegada está a salvação, e a força, e o reino de nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite.” É bom atentarmos para um detalhe muito importante, Satanás é acusador dos irmãos, ou seja, dos que estão em plena COMUNHÃO com o Senhor, pois os que estão por aí na perdição ele não quer saber, ele é opositor a Deus e aos que ainda procuram desviar-se do mal, como fazia o servo Jó. Vejamos as qualidades mencionadas por Deus acerca de Jó, no diálogo com Satanás (Jó. 1: 6 a 8), então Jó era: Sincero, reto, temente a Deus e se desviava do mal. Agora vamos ver as características de Satanás: Ele anda misturado com os filhos de Deus (verso 6), anda atento (verso 7), sempre observando os filhos de Deus (verso 8), mas o pior de todas essas observações é a sua velha profissão: Acusar e lançar duvida (9 a 11). Outra observação que não podemos deixar de fazer é que, em momento algum Satanás pede para tocar em Jó, ele insinua, pois por mais audaz que seja ele treme diante do Senhor (Tg. 2: 19), vemos no diálogo, que houve acusações, insinuações etc., porém Satanás sempre sugerindo que o Senhor tocasse em Jó, nunca pedindo para toca-lo. O Senhor permitiu que Jó passasse por SETE provas bem fortes seguidamente. Mas é bom que fique claro que só foram permitidas essas duras provas na vida de Jó, porque o Senhor Deus bem sabia que ele iria suportar, (I Cor. 10: 13), interessante este verso de Coríntios, pois confirma que as provas que passamos são provenientes das acusações do opositor. É por isto que sempre estamos aqui aprendendo a discernir bem a diferença que há entre: luta e prova. Mas o Senhor conhece os que são seus. No Cap. 1:11, 12, findando ali as primeiras acusações, o Senhor entrega nas mãos de Satanás todos os bens materiais de Jó, em três etapas (Jó 1: 13 a 17). Na quarta prova Jó perde seus filhos (verso 18, 19). Nesta prova Satanás tira a vida de seus dez filhos de uma só vez. Nesta Jó se levantou rasgou os seus vestidos (versos 20 a 22). E, vindo outro dia, em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio de novo Satanás entre eles apresentar-se perante o Senhor (Jó. 2: 1 a 8). Eis ai a quinta prova, Jó perde a saúde. A prova que vem a seguir também é bem dolorosa, pois estando ele já totalmente fragilizado, sem riqueza, sem os filhos, sem saúde, recebe a revolta de sua mulher por vê-lo naquele estado e ainda mantendo a Fé em Deus. Ela chega a sugerir-lhe suicídio sexta prova (verso 9, 10). É compreensível a dor dessa mulher, ela não era feita da mesma fibra de Jó, ela deveria estar em estado de choque diante de tanta desgraça. O certo é que ela não o abandonou. Jó ao rejeitar a sugestão dela reafirma a sua fé e passa pela sexta prova com louvor (verso 10). Vamos então, nos aproximando da sétima prova, Jó recebe a visita dos três amigos que vieram de longe: Elifaz, Bildade e Zofar. Eles vieram com dois propósitos: Para condoer-se dele e consolá-lo. Acontece que eles não estavam preparados para o choque (versos 11 a 13). Ali estiveram sete dias em total silêncio, ali eles mostraram uma atitude distinta, louvável, pois aquele silêncio significou respeito pela dor que Jò estava sentindo, não propriamente física, mas uma dor na alma. E Jó fez um desabafo. Vamos conhecer um pouco mais sobre Jó. A Bíblia relata que Jó habitava em Uz atual Arábia, era um homem muito rico, não só de bens materiais, mas também rico em conhecimentos, bem como aquele seus amigos, pois permaneceram calados, deixou que Jó desabafasse. O que lemos no capitulo 3, pode até nos chocar, mas esse desabafo é muito comum na terapêutica psicanalítica, essa atitude de Jó na psicanálise tem o nome de catarse, o que isto quer dizer? Catarse é o extravasar de emoções, Freud chama de: “purificação” dos sentimentos. Jó sentiu a necessidade de falar, do contrário ele poderia morrer, ou ficar desorientado, desmemoriado ante tantas tragédias em sua vida. A história de Jó teve um final feliz. Seus amigos agiram daquela forma, porque só conheciam a teoria da prosperidade. Mas no final também foram perdoados pelo Senhor, recebendo a oração feita por Jó.

domingo, 12 de abril de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / O SENHOR GUARDA OS QUE SÃO DELE - Lição: 02

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 12 – 04 – 2015.
Lição: 02.                                    Título da Lição
O SENHOR GUARDA OS QUE SÃO DELE
  
Texto Áureo: “Disseram: Vinde, e desarraiguemo-los para que não sejam nação, nem haja mais memória do nome de Israel.” (Sl. 83: 4)
         
HINOS SUGERIDOS: 
273 – 140 - HC


Leitura Bíblica em Classe: (Et. cap. 2: 21 a 23; 3: 1 a 4)
21 – Naqueles dias, assentando-se Mardoqueu à porta do rei, dois eunucos do rei, dos guardas da porta, Bigtã e Teres, grandemente se indignaram, e procuraram por as mãos no rei Assuero.
22 – E veio isso ao conhecimento de Mardoqueu, e ele o fez saber à rainha Ester, e Ester o disse ao rei, em nome de Mardoqueu.
23 – E inquiriu-se esse negócio, e se descobriu, e ambos foram enforcados numa forca; e foi escrito nas crônicas perante o rei.
1 – Depois destas cousas o rei Assuero engrandeceu a Hamã, filho de Hamedata, agagita, e o exaltou, e pôs o seu lugar acima de todos os príncipes que estavam com ele.
2 – E todos os servos do rei, que estavam à porta do rei, se inclinavam e se prostravam perante Hamã; porque assim tinha ordenado o rei acerca dele; porem Mardoqueu não se inclinava nem se prostrava.
3 – Então os servos do rei, que estavam à porta do rei, disseram a Mardoqueu: Por que traspassas o mandado do rei?
4 – Sucedeu, pois que, dizendo-lhe eles isto de dia em dia, e não lhe dando ele ouvidos, o fizeram saber a Hamã, para verem se as palavras de Mardoqueu se sustentariam, porque ele lhes tinha declarado que era judeu.

INTRODUÇÃO

I – O SENHOR GUARDA OS QUE SÃO DELE

Definição: Através do livro de Ester, o último livro Histórico do Antigo Testamento, grandes lições podemos obter, principalmente sobre o Zelo do Senhor Deus para com aqueles que são leais aos Mandamentos da Lei Divina. Há sempre muito foco em Ester cada vez que se vai estudar este compêndio, mas é preciso olhar para o homem chamado Mardoqueu. Quem é Mardoqueu? “Filho de Jair, filho de Simei, filho de Quis, benjamita” (Et. 2: 5, 6), Mardoqueu só aparece no livro de Ester, mas mesmo assim nos trás um grande e importante relato, pois esclarece a sua procedência, diz o verso 6 que ele procede do cativeiro dos 70 anos, que Nabucodonozor transportara só que, Mardoqueu nasceu em cativeiro. Mas, o importante é que no relato do livro de Ester cap. 2 diz que havia um homem judeu na fortaleza de Susã e que, apesar de ser exilado, era servo do rei Assuero da Pérsia. Mardoqueu soube que a rainha Vasti havia sido deposta pelo rei e que algum tempo depois por aconselhamento dos moços que serviam ao rei, foi sugerido que se buscasse para o rei moças virgens e belas, e quem sabe o rei se agradaria de alguma? O rei Assuero gostou da ideia, (Et. 2: 1 a 4). Seriam muitas as moças, pois pelo que podemos entender era grande a extensão do reino de Assuero em termos de províncias, eram ao todo cento e vinte sete províncias, ele reinava desde a Índia até a Etiópia (Et. 1: 1,2). O seu trono estava na Fortaleza de Susã. Desde que o Senhor usando primeiro a Ciro rei da Persia junto a Esdras, vem Neemias e daí para frente embora o povo pela sua desobediência, estava fora do cativeiro, mas, entre aspas, pois segundo o relato, (livro de Ester), feito por Mardoqueu, os judeus estavam espalhados nessas províncias sob o reinado de Assuero, mas com muito pouca liberdade, haja vista a recomendação de Mardoqueu a Ester, quando foi escolhida entre as moças por ser muito bonita diz a história para que, Mardoqueu ordenou a ela que não declarasse a sua origem (Et. 2: 8 a 10), e assim foi feito, ela não se declarou. Mas voltando a Mardoqueu homem leal, ela foi a escolhida como rainha, mas ele continuou a cumprir seus deveres, sentado no portão do rei, quando lhe trouxeram a informação de que dois dos oficiais da corte, Bigtã e Teres conspiravam matar o rei, chegando isto ao conhecimento de Mardoqueu ele fez chegar também ao conhecimento de Ester que, por sua vez passou para o rei, e esse ato de lealdade foi escrito no livro das crônicas. (Et. 2: 21 a 23). Podemos muito bem entender aqui a diferença daquele que serve a Deus do que não serve. Um grande exemplo, vemos aqui, Mardoqueu bem poderia não ter se envolvido nisso, mas sua conduta foi correta. Ele conhecia o Deus Jeová, ele sabia que todas as ações quer sejam más ou boas ficam em Memorial diante de Deus.  E aqui na terra também essa atitude de Mardoqueu foi para o livro das crônicas. Mardoqueu Recusa Curvar-se Diante de Hamã: Passado algum tempo como diz o capitulo 3, diz que o rei Assuero engrandeceu a Hamã, o agagita, ele foi feito primeiro-ministro do reino, Assuero ordenou que todos no portão do rei se prostrassem diante de Hamã (Et. 3: 1, 2), só que Mardoqueu se recusou a fazer isso, pois é contra a Lei de Deus se prostrar diante de qualquer imagem (Êx. 20: 3 a 5), Mardoqueu foi chamado a atenção pelos seus colegas de trabalho, até que simplesmente ele se declarou ser judeu, eis a razão. Mas quando a questão chega ao conhecimento de Hamã, ele fica furioso e intenta matar não só a Mardoqueu, mas a todos os judeus que havia em todo o reino. (3: 5, 6). O engrandecimento para com Hamã da parte do rei continuou, e com isso ele tramou a destruição de todos os judeus chegando-se ao rei dizendo: (Et. 3: 7 a 11), Hamã conseguiu convencer o rei, a ordem foi dada, os judeus foram entregues a matança. Imediatamente chamaram os escrivães e Hamã ali no comando para que fossem enviadas as cartas pelos correios a todas as províncias a ordem assinado e selado com o anel do rei (versos 12 a 15). Houve ali grande tristeza de todos os judeus (Et. 4: 1 a 4) em meio aquele reboliço, Mardoque teme também por Ester (cap.4 13, 14). Ester toma uma decisão: (15 a 17), Ester se pôs a buscar ao Senhor no jejum, durante três dias, ela e suas moças, (Et. 5: 1 a 8). Naquela mesma noite o rei perde o sono e vai ler o livro das crônicas (cap. 6: 1 a 14). Em seguida Ester denuncia Hamã (7: 1 a 10). Grande foi a Justiça Divina, Hamã executado na própria forca que havia preparado para Mardoqueu. Mardoqueu é elevado a primeiro ministro (Et. 8: 1 a 8). Após tanta aflição veio um final feliz para aquele povo. Mardoqueu mostrou ser aqui na terra uma Igreja Santa, Sábia a Igreja que Jesus quer ver em cada um de nós.

domingo, 5 de abril de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / NA TERRA NÃO HAVERÁ MAIS REFORMADOR - Lição: 01

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 05 – 04 – 2015.
Lição: 01.               
 Título da Lição
NA TERRA NÃO HAVERÁ MAIS REFORMADOR
  
Texto Áureo: “E sucedeu que, ouvindo-o todos os nossos inimigos, temeram, todos os gentios que havia em roda de nós, e abateram-se muito em seus próprios olhos; porque reconheceram que o nosso Deus fizera esta obra.” (Ne. 6: 16).
                            
HINOS SUGERIDOS: 432 – 266 - HC

Leitura Bíblica em Classe:  (Ne. 6: 9 a 15).

9 – Porque todos eles nos procuraram atemorizar, dizendo: As suas mãos largarão a obra, e não se efetuará. Agora, pois, ó Deus, esforça as minhas mãos.
10 – E, entrando eu em casa de Semaias, filho de Delaías, o filho de Meetabel (que estava encerrado), disse ele: Vamos juntamente á casa de Deus, ao meio do templo, e fechemos as portas do templo; porque virão matar-te: sim de noite virão matar-te.
11 – Porem eu disse: Um homem como eu fugiria? e quem há, como eu, que entre no templo e viva? De maneira nenhuma entrarei.
12 – E conheci que eis que não era Deus quem o enviara; mas esta profecia falou contra mim, porquanto Tobias e Sambalate o subornaram.
13 – Para isto o subornaram, para me atemorizar, e para que eu assim fizesse, e pecasse, para que tivessem alguma causa a fim de me infamarem, e assim me vituperarem.
14 – Lembra-te, meu Deus, de Tobias e de Sambalate, conforme a estas suas obras, e também da profetisa Noadias, e dos mais profetas que procuraram atemorizar-me.
15 – Acabou-se, pois o muro aos vinte e cinco de Elul, em cinquenta e dois dias.

INTRODUÇÃO

I – NA TERRA NÃO HAVERÁ MAIS REFORMADOR
Definição: Vamos iniciar o segundo trimestre deste ano de 2015. Qual foi o saldo do primeiro? É bom não esquecer que: O Senhor Deus não levantará mais nenhum reformador na terra, o último foi Martinho Lutero. Quase perde a vida por querer trazer de volta a verdadeira Adoração a Deus Jeová, Combateu toda sorte de desmandos, heresias, idolatrias, comércio, indulgências (venda de salvação), e etc. Tudo que já há muito corre solto nessas igrejotas que andam por aí. E essa situação vem rolando desde o Êxodo, vem Moisés se acabando por conta daquele povinho imoral. Mas dando inicio ao segundo trimestre de nossas lições Bíblicas, na continuação do Zelo Divino, na nova oportunidade que o Senhor intentou dar àquele povo rebelde, após 70 anos no cativeiro, o Senhor teve que buscar homem de outra terra, Ciro, pois não achou no meio do seu povo um que fosse digno, pois todos estavam em cativeiro, a grande parte na Babilônia, o que o diabo não quis, perdidos pelo caminho (Ne. 1: 2, 3). Vai Neemias depressa acudi-los, pede licença de seu trabalho, e parte para lá (Ne. 1: 4 a 11). Ali chegando, Depois de tantas perseguições para que não fossem restaurados os muros de Jerusalém (Ne. 4: 1 a 9), e não ficou só por ai a perseguição, mas Neemias foi vencedor. Depois daquela festa tão linda acontecida em Jerusalém por conta da restauração dos muros, consequência da desobediência. (Ne. 12: 27 a 43). O texto que acabamos de ver fala da festa, da alegria que havia no povo e principalmente no coração de Neemias e Esdras, pois realmente o acontecido não era para menos. Olha que interessante esta dedicação aos muros, Neemias providenciou grandes corais de agradecimentos, fizeram uma procissão em cima dos muros, ali havia vários instrumentos de música, o verso 31 diz que Neemias fez subir até os príncipes de Judá, e foi uma maravilha! O verso 43 diz que Deus os alegrara com grande alegria e até as mulheres que sempre foram tão reprimidas, e as crianças se alegraram, de forma que a alegria que estava ali em Jerusalém se ouvia de longe. Depois da festa houve mais algumas recomendações (Ne. 13: 1 a 3). Vejamos a confirmação desta Palavra em: (Deut. 23: 3, 4). Neemias, após a leitura do livro de Moisés, que, aliás, essa leitura foi feita aos ouvidos de todo o povo, na qual estava escrito que os moabitas e os amonitas jamais entrassem na congregação de Deus. Acontece que já havia coisas ocultas na vida até mesmo dos sacerdotes. No verso 3 do cap. 13, vemos que, ouvindo o povo esta Lei, houve da parte do povo afastamento da mistura. Acontece que, nem todos os que estavam na festa, ou seja, nem todos se livraram da mistura, e o pior de tudo é que o péssimo exemplo provinha do sacerdote, o tal Eliasibe (Ne. 13: 4,5). Entendemos no verso 4 que, essa situação de Eliasibe já existia, e ele ficou caladinho. Essa situação no meio do povo tirado lá da servidão do Egito é crônica e mortal, podemos comparar a um câncer com metástase (raiz), pode até arrancar o tumor, mas se tem raiz, o tumor vai brotar em outra parte do corpo com certeza. A nossa tendência é má, poucos são os que se convertem á Lei do Senhor, Ele tem Consciência disto. Uma Congregação ainda que tenha apenas 12 pessoas, haverá mistura. Jesus ainda conta com dois ou três no máximo (Mat. 18: 20). Quando se recebe a Jesus como único e suficiente Salvador, recebem-se os seus atributos, e principalmente a Santificação, mas para que haja santificação, deve-se ouvir a Palavra de Deus e executá-la guardando a entrada de todas as portas, quer seja material quanto a espiritual (Amós. 5; 15). Mas voltando a triste situação dos festejados de Jerusalém. Vemos em todo o livro de Neemias um relato feito por ele mesmo, ele conta a história. Prossigamos então: (Ne. 13: 5 a 7), entendemos aqui que, depois daquela festa tão linda, Neemias voltou para o seu trabalho, afinal ele estava licenciado. Tempos depois como diz o verso 6, ele volta a Jerusalém e ali encontra uma verdadeira devassa! (verso 8 a 13), Neemias não imaginava quão grave estava ali a situação. No verso 14 vê-se a grande tristeza de Neemias. Mas passado o momento de reflexão diante do Senhor, passa a relatar para nós o que presenciou na terra (15, 16), a seguir (17 a 21 Neemias então, Poe para correr, os vendilhões do dia de Sábado). Agora a partir do verso 22 a 25, Neemias perde totalmente a paciência, e parte pra cima deles. No verso 28, mais uma surpresa, Sambalate também estava aparentado com Eleasibe. A tristeza de Neemias é notória no verso 29. Portanto não há mais solução.
               NA TERRA NÃO HAVERÁ MAIS REFORMADOR!