Translate

terça-feira, 15 de maio de 2018

LIÇÕES BÍBLICAS / ANA, A MULHER PERSEVERANTE! - Lição: 08

 LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor”.
Data: - 20 – 05 – 2018.      
Titulo da Lição:           ANA, A MULHER PERSEVERANTE!    
Lição: 08
Texto Áureo: “O meu pé está posto em caminho plano; nas congregações louvarei ao senhor.” (Sl. 26: 12).   
                                                                                  
Leitura Bíblica em Classe: 
239  – 51  - HC   (Sl. 27).

1 – O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei?
2 – Quando os malvados, meus adversários e meus inimigos, investiram contra mim, para comerem as minhas carnes, tropeçaram e caíram.
3 – Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria: ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria.
4 – Uma cousa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do senhor, e aprender no seu templo.
5 – Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão: no oculto do seu tabernáculo me esconderá: pôr-me-á sobre uma rocha.
6 – Também a minha cabeça será exaltada sobre os meus inimigos que estão ao redor de mim: pelo que oferecerei sacrifício de júbilo no seu tabernáculo; cantarei, sim, cantarei louvores ao Senhor. 
7 – Ouve, Senhor, a minha voz quando clamo; tem também piedade de mim, e responde-me.
8 – Quando tu disseste: Buscai o meu rosto; o meu coração te disse a ti: O teu rosto, Senhor, buscarei.
9 – Não escondas de mim a tua face, não rejeites ao teu servo com ira: tu foste a minha ajuda, não me deixes nem me desampares, ó Deus da minha salvação.
10 – Porque, quando meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me recolherá.
11 – Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e guia-me pela vereda direita, por causa dos que me andam espiando.
12 – não me entregues à vontade dos meus adversários; pois se levantaram falsas testemunhas contra mim, e os que respiram crueldade.
13 – Pereceria sem duvida, se não cresse que veria os bens do Senhor na terra dos viventes.
14 – Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera pois no Senhor.

Título da Lição: ANA, A MULHER PERSEVERANTE!

Definição: É com grande alegria que damos inicio a mais um estudo dentro das Sagradas Escrituras, para que cada dia possamos ser agraciados pelos Dons Espirituais, principalmente no Dom da Palavra. O Senhor é taxativo na questão “Buscai conhecimento!” O Profeta Daniel no último cap. De seu livro diz com toda clareza assim: “E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão uns para a vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno. os entendidos pois resplandecerão, como o resplendor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça refulgirão como as estrelas sempre e eternamente.” (Dn. 12: 2, 3). Portanto, aqui estamos para dar inicio ao estudo do 1º Livro que trás a história do profeta Samuel e que tem o seu nome. A história começa contando acerca de um homem chamado Elcana, um levita morando no território de Efraim. Filho de Jeroão, que era filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe, efrateu. Mas como poderemos ter certeza que Elcana era levita? Aí é a hora de examinarmos a genealogia, buscando as descendências, pois o Senhor no seu imenso cuidado para que nós hoje, tivéssemos todo o conhecimento da história de seu povo, deixou registrado através das geneologia (gens). Vejamos então a descendência de Elcana na listagem que Davi constituiu para o oficio do canto na Casa do Senhor, sabendo nós que, a tribo escolhida para louvar a Deus, foi a tribo de Levi. “Estes são pois os que estavam com seus filhos: dos filhos dos coatitas, Hemã, o cantor filho de Joel, filho de Samuel, filho de Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de toá.” (I Cron. 6: 33, 34). Para confirmar que este Elcana é o mesmo pai de Samuel, vamos ao inicio da História de Samuel. “HOUVE um homem de Ramataim de Zofim, da montanha de Efraim, cujo nome era Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe, Efrateu.” (I Sm. 1: 1). Pronto confirmada a descendência. Eis aí a importância da genealogia. Mas vamos dando inicio a esta linda história, contendo uma mulher perseverante na oração, sendo muito provada na questão de ser estéril, e a esterilidade nos tempos antigos pesava sobre as mulheres como se fosse uma praga, ou um castigo Divino. Na tradição judaica conta que Ana era a primeira mulher de Elcana, mas pela Lei de Moisés, o homem teria direito a ter uma segunda mulher se a primeira não tivesse filhos. Sendo assim, Elcana casou-se com Penina, porém Elcana amava a Ana, e deixava isto muito claro, podemos até pensar que por esta razão Penina hostilizava a Ana: “Subia pois este homem da sua cidade de ano em ano a adorar e sacrificar ao Senhor dos Exercitos em Siló: e estavam ali os sacerdotes do Senhor, Hofni e Finéias, os dois filhos de Eli. E sucedeu que no dia que Elcana sacrificava dava ele porções a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos, e a todas as suas filhas. Porém a Ana dava uma parte excelente; porquanto ele amava Ana, porém o Senhor lhe tinha cerrado a madre.” (I Sm. 1: 3 a 5). Então Penina ali percebia este tratamento diferenciado de Elcana para com Ana, certamente por esta razão ela a irritava como diz o verso 6. Prosseguindo, não há como saber o tempo em que Ana perseverou em buscar a bênção da maternidade, mas que pela sua perseverança em buscar ao Senhor, numa das vezes em que foi a Siló para entregar ao Senhor seu sacrifício anual diz no verso 9 do primeiro cap. Do Livro que Ana ao término da refeição ela se levantou e foi fazer mais uma oração deprecatória ou seja; suplicante, diz o texto que o Sacerdote Eli estava assentado numa cadeira a observava, então no auge daquela amargura Ana faz um voto ao Senhor: “Ela pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente. E votou um voto, dizendo: senhor dos exércitos! se benignamente atenderes para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, mas à tua serva deres um filho varão, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha.” (1º Sam. 1: 10, 11). Lei de nazireu, uma das Leis mais antigas, pois vemos no livro de Números cap. 6, o Senhor advertindo a Moisés a falar aos filhos de Israel sobre este voto, portanto entende-se que, esta não foi uma Lei de Moisés, mas sim do Senhor. Pelo que temos aprendido, este voto de Nazireu (não cortar os cabelos) pode ser um voto perpétuo ou temporário. Temos uma citação em Atos dos Apóstolos cap. 18: 18: que diz: “...E Paulo, ficando ainda ali muitos dias, despediu-se dos irmãos, e dali navegou para a Síria, e com ele Priscila e Àquila, tendo rapado a cabeça em Cencréia, porque tinha voto”.  Mas voltando a Ana e seu voto, sem se aperceber, ela estava sendo observada pelo Sacerdote Eli, só que de uma maneira equivocada, pois ele pelo mexer dos lábios de Ana quando orava ao Senhor,  imaginou que ela estava embriagada. Isto é preocupante partindo de um Sacerdote, homem que por dever tem sua vida consagrada ao Senhor, o pior é que ele não apenas suspeitou, mas a acusou repreendendo-a, isto se chama juízo temerário, coisa séria, pois muitos de nós incorre nesse pecado, julgar pela aparência. Mas o Senhor ali já havia concedido a grande Bênção de Ana. “Porém Ana respondeu, e disse: Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito; nem vinho nem bebida forte tenho bebido: porém tenho derramado a minha alma perante o Senhor. Não tenhas pois a tua serva por filha de Belial: porque da multidão dos meus cuidados e do meu desgosto tenho falado até agora.” (I Sm. 1: 15, 16). Dali, Eli respondeu, e disse para ela ir em paz desejando que Deus  concedesse a ela sua petição. Dali diz na sequencia que o semblante de Ana melhorou, já não aparentava tristeza, este foi o Sinal Maravilhoso, ou seja, Sinal de resposta positiva da parte do Senhor. Aqui podemos imaginar que seria preciso nascer alguém para por ordem na casa daquele Sacerdote. Podemos imaginar os dias atuais, ou seja, o estado do povo que se diz crente, pra baixo e pra cima subindo e descendo montes, e a Bíblia Sagrada fechada, ali ainda havia esperança na terra, hoje nossa única esperança é Jesus nas nuvens dos Céus, porém só os salvos o verão. Mas não muitos dias depois; Ana concebeu, e teve o filho tão esperado, e colocou o seu nome Samuel, pois dizia ela, tenho pedido ao Senhor. naquela ano Ana não subiu a Siló para sacrificar: “E subiu aquele homem Elcana com toda a sua casa, a sacrificar ao Senhor o sacrifício anual. Porém Ana não subiu; mas disse: a seu marido: quando o menino for desmamado o levarei,”...

Nenhum comentário:

Postar um comentário