Você é o visitante

domingo, 29 de novembro de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / JESUS, E A TRANSFIGURAÇÃO - Lição: 09

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 29 – 11 – 2015.
Lição: 09.                                                Título da Lição
 JESUS, E A TRANSFIGURAÇÃO
Texto Áureo: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua gloria, como a gloria do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” (Jo. 1:14).
                                                                205 – 272- HC        
                                                  
 Leitura Bíblica em Classe:     (Mt. 17: 1 a 13).
1 – SEIS dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João seu irmão, e os conduziu a um alto monte.
2 – E transfigurou-se diante deles, e o seu rosto resplandeceu como o sol, e os seus vestidos se tornaram brancos como a luz.
3 – E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele.
4 – E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés, e um para Elias.
5 – E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo: escutai-o.
6 – E os discípulos, ouvindo isto, caíram sobre os seus rostos, e tiveram grande medo.
7 – E aproximando-se Jesus, tocou-lhes, e disse: Levantai-vos; e não tenhais medo.
8 – E, erguendo eles os olhos, ninguém viram senão unicamente a Jesus.
9 – E, descendo eles do monte, Jesus lhes ordenou, dizendo: A ninguém conteis a visão, até que o Filho do homem seja ressuscitado dos mortos.
10 – E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Por que dizem então os escribas que é mister que Elias venha primeiro?
11 – E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as cosas;
12 – Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do homem.
13 – Então entenderam os discípulos que lhes falara de João Batista.

14 – E, quando chegaram a multidão, aproximou-se um homem pondo-se de joelhos diante dele, e dizendo: Senhor tem misericórdia de meu filho, que é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e muitas vezes na água.

INTRODUÇÃO:

I – JESUS, E A TRANSFIGURAÇÃO.

Definição: Algumas preciosas lições, podemos receber, através do relato dessa Maravilha ocorrida naquele Monte. Devemos retornar um pouco no versículo 28 do capitulo anterior quando diz algo muito interessante: “Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino.” (Mt. 16: 28). Seis dias depois: (LBC), se cumpre esta promessa. Eram 12 discípulos, mas somente três Ele chamou em particular, assim nos diz o texto, para verem com seus próprios olhos o reino dos céus. Muito interessante foi a reação de Pedro, embora sentindo medo, ele externou a sua satisfação em estar ali, ele disse: Bom é estarmos aqui! João também guardou aqueles momentos, e quando passa a escrever o seu Evangelho, logo no primeiro capítulo é relatado esse Evento descrito em nosso texto áureo. Pedro também em sua segunda carta universal se lembra daquela experiência: “Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas: mas nós mesmos vimos a sua majestade.” (2 Pd. 1: 16). Quanto ao aparecimento de Moisés e Elias junto a Jesus, isto representa duas fases muito importantes do Antigo Testamento, que são; Moisés representando a Lei, e Elias os profetas, ambos não passaram pela morte, mas foram arrebatados de corpo e alma para os céus. E ali no Monte da Transfiguração, o Senhor permitiu que esses três discípulos vissem, e ainda mais, ouvissem a voz do Pai apresentando-o como o Filho declarando agora que, a Lei e os profetas deram lugar ao Seu Filho, pois disse: “escutai-o” (verso 5, LBC). Outro fato muito importante que devemos esclarecer para que não fique nenhuma dúvida a respeito da Palavra deixada escrita, é a questão dos versos 12 e 13 da LBC, que ainda é causa de muitas duvidas a respeito desta vinda de Elias mencionada por Jesus. É como se houvesse uma reencarnação de Elias em João Batista. O que Jesus dizia para eles é que João Batista veio pelo deserto com a mesma autoridade, ou seja, na força do Espírito Santo, sendo usado da mesma maneira que Elias no passado. (I Rs. 18: 36, 37). Autoridade no Espírito Santo. Havia semelhanças na vida cotidiana de Elias quando, por exemplo: Elias por um bom tempo foi sustentado por corvos; (I Rs. 17: 2 a 7). João Batista também se alimentou de mel silvestre e gafanhotos andando pelo deserto. Mas voltando aos rumores sobre esta questão reencarnação de espíritos, coisa que não temos nenhum respaldo Bíblico, aliá é bem clara a referência que diz: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo.” (Hb. 9: 27). Mas o povo judeu carregava por toda a vida crendices, trazidas da terra por onde ficaram escravizados durante 430 anos. Eles saíram do Egito, mas as crendices na saíram deles. Qualquer oportunidade que tinham, lá estavam eles Praticando a feitiçaria. Vamos lembrar que quando Jesus chegou à região de Cesaréia de Filipe fez uma pergunta aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do homem? E eles disseram: Uns, João Batista, outros Elias, e outros Jeremias ou um dos profetas.” (Mt. 16: 13, 14). Jesus então fez a pergunta: E vós, quem dizes que eu sou? Naquele momento só Pedro respondeu com firmeza e disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Deste texto podemos tirar, ou melhor, devemos nos aperceber que o Senhor continua o mesmo, Ele pode a todo o momento, estar aplicando testes de avaliação sobre todo aquele que bate no peito e diz; estou salvo em Jesus Cristo, acontece que o Senhor não vai pelo ouvir dizer, Ele prova, e de várias maneiras. Aquela resposta de Pedro alegrou tanto ao Senhor Jesus que ele revidou a Pedro com uma Promessa Sobrenatural! ... “Pois eu também te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mt. 16: 18). Seis dias depois... A transfiguração no Monte e Pedro no meio. Interessante é que ainda estava longe o dia de Pentecostes, mas Pedro já havia recebido um Dom que só  se recebe após o Batismo com o Espírito Santo, ou seja, o Dom da revelação, pois Jesus disse a ele: Bem aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue , mas meu Pai, que está nos céus. Mas voltando à vida dos que dizem ser de Jesus, ter recebido Jesus, e etc., quase sempre se está buscando soluções para os problemas, bênçãos, disso, daquilo, respostas, e etc. Mas muitas vezes esquecemos que Ele também nos faz perguntas, faz interrogações, quais tem sido nossas respostas para com Ele? O que na verdade Ele representa em nossa vida? Já paramos para pensar em que posição muitos estão colocando o Senhor Jesus? Qual tem sido o retorno para com Ele? Nunca se pode esquecer que Ele sempre foi, É e continuará sendo uma Pessoa! Será que o Senhor é muito exigente? Qual seria o grande sacrifício que Ele exige de seus filhos? Nenhum! Tão somente que o amemos em primeiro lugar, que o coloquemos no centro da vida (alma), que possamos sempre dizer SIM para Ele. Mas voltando um pouco sobre a questão dos espíritos, fica bem claro que não existe reencarnação. A semelhança de Elias com João Batista era o Poder de Deus na vida de ambos, pois foram homens destemidos, ou seja, corajosos, valentes e principalmente de FÉ! Já temos aprendido que a Fé verdadeira vence o mundo, e suas concupiscências. No Monte da Transfiguração, quando da fala do Deus Pai exortando que daquela qual data em diante deve-se ouvir somente a Jesus, pois como está escrito; profeta foi até João Batista. Portanto a ninguém devemos chamar de profeta. Vejamos agora o que o próprio João Batista respondeu aos que lhe interrogavam: “E perguntaram-lhe: Então que? És tu Elias? E disse: não sou. És tu profeta? E respondeu: Não. E disse: Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaias.” (Jo. 1: 21 a 23). Portanto façamos como está escrito. Transformemos o nosso Culto doméstico num Monte de Transfiguração a cada dia. 

domingo, 22 de novembro de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / JESUS, O UNGIDO DO SENHOR! - Lição: 08

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”
Data: 22 – 11 – 2015.
Lição: 08. 
Leitura Bíblica em Classe: (Mt. 13: 44 a 58).
Título da Lição
 JESUS, O UNGIDO DO SENHOR!
Texto Áureo: “Eu, porém ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião” (Sl. 2: 6).
       254 – 156- HC     

44 – Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo que um home achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.
 45 – Outrossim, o reino dos céus é semelhante ao homem, negociante, que busca boas pérolas;
46 – E, encontrando uma pérola de grande valor, foi e vendeu tudo quanto tinha, e a comprou.
47 – Igualmente o reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar, e que apanha toda a qualidade de peixes.
48 – E, estando cheia, a puxam para a praia; e, assentando-se, apanham para os cestos os bons; os ruins, porém, lançam fora.
49 – Assim será na consumação dos séculos: virão os anjos, e separarão os maus dentre os justos.
50 – E lançá-los-ão na fornalha de fogo: ali haverá pranto e ranger de dentes.
51 – E disse-lhes Jesus: Entendestes todas essas coisas? Disseram-lhe eles: Sim senhor.
52 – E ele disse-lhes: Por isso, todo o escriba instruído acerca do reino dos céus é semelhante a um pai de família, que tira do seu tesouro coisas novas e velhas.
53 – E aconteceu que Jesus, concluindo essas parábolas, se retirou dali.
54 – E, chegando à sua pátria, ensinava-os na sinagoga deles, de sorte que se maravilhavam, e diziam: Donde veio a este a sabedoria, e estas maravilhas?
55 – Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas?
56 – E não estão entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe veio pois, tudo isto?
57 – E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: Não há profeta sem honra, a não ser na sua pátria e na sua casa.
58 – E não fez ali muitas maravilhas por causa da incredulidade deles.

 INTRODUÇÃO:

I – JESUS, O UNGIDO DO SENHOR!
Definição: Ungido por excelência! O evangelista Mateus relata com muita propriedade as duas parábolas, a qual Jesus teve o cuidado de reservar essas duas parábolas inseridas num contexto maravilhoso, Jesus deixa-as exclusivamente a todos os que estão começando a caminhada com Ele. É o exemplo do encontro com Jesus, ou seja, no dia em que recebi a Jesus como meu Salvador. Ali ao seu redor estavam os discípulos recém-convertidos, muito ainda tinham que aprender, e como sempre, o Senhor Jesus usava os elementos da terra para que pudessem mais facilmente entender a sua mensagem. Na verdade estava se referindo a Ele próprio: Ele é o Tesouro, é a Pérola que há tanto tempo esteve escondido de nós. Não que já não houvéssemos ouvido falar Dele, mas como ainda estava dando para aguentar, fomos aguentando, até que chegou o grande dia do encontro maravilhoso. Infelizmente nesses tempos atuais estes encontros reais já sejam escassos, pois a Pessoa de Jesus não é mais apresentada como o Salvador das almas cansadas e sobrecarregadas, hoje o primeiro encontro que essa alma tem é com o envelope da prosperidade, ou uma mandinga qualquer. Mas para se alcançar o Reino dos Céus, é preciso encontrar-se com Salvador no Caminho, e nesse Caminho permanecer, interessante a questão da salvação, vejamos que pela Palavra, na verdade o Senhor Jesus que ainda está salvando, propõe uma troca maravilhosa ao pecador: “Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele, e ele tudo fará.” (Sl. 37: 5). Mas é muito interessante essa troca, então Ele pega o meu caminho ruim e faz desaparecer, e me leva para si, pois Ele é o Caminho que leva aos Céus. Devemos sempre procurar meditar na excelência do Senhor Jesus. Outro exemplo de troca: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” (Mt. 11: 28 a 30). Mas voltando as parábolas: devemos atentar para o inicio do texto quando diz que um homem achou um tesouro e escondeu, mas foi e vendeu tudo quanto tinha. Para que? Para comprar aquele campo, e comprou. Que lição maravilhosa, podemos tirar desse texto: aquele homem ao encontrar um tesouro escondido, podemos imaginar que estava soterrado naquele campo. Então o homem imaginou, esse campo é rico, vale a pena comprá-lo, investir nele. Fica então claro que o Senhor Jesus quis, e ainda quer passar para muitos que estão presos no pouco ou quase nada que tem, ao invés de investir no Campo, que está lá nos altos Céus. Sabia que lá existe um Campo que tem o nome de Jardim do Éden? (Gn. 3: 24). Mais uma vez vamos recordar o texto, pois diz que, o caminho da Árvore da Vida foi guardado por anjos na volta aos Céus. O Senhor bem que tentou estabelecer esse Jardim aqui na terra, mas não foi possível, apesar do casal ter Cultos todas as viradas da tarde, “E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia: e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim”. (Gn. 3: 8).  Durante quase cem anos, eles participaram dos ensinamentos diários, ainda assim caíram na conversa do personagem estranho. É exatamente o que está acontecendo em nosso meio, na vida de alguns, só os corpos estão presentes, a alma e o espírito estão longe. Podemos ter certeza que o Senhor naquelas reuniões de Culto no Jardim, deve ter muitas vezes alertado a eles a respeito de Satanás, pois do contrário o personagem não teria necessidade de vir disfarçado na serpente, não é verdade? Satanás é muito mais atento a Palavra do que muitos de nós. Que tristeza hem? Mas temos que voltar as Maravilhas que o Senhor tem preparado para aquele que vencer. Mas voltando a história maravilhosa do Campo que o homem comprou. A grande e Magnífica diferença, é que, esse Maravilhoso Campo que representa o Céu e suas mansões, já foi comprado por um preço de Sangue, o Precioso Sangue de Jesus. Todo o Sacrifício já foi feito, o Deus Pai deu de presente para nós o Seu Único Filho, às vezes fico a pensar; O Senhor não tinha nada mais importante, ou de grande valor para fazer em prol da salvação, pelos menos de alguns. É até bom tocarmos nesse assunto: De alguns, já paramos para pensar que, se pelo menos o Deus Pai passasse por esta dor atroz de ver Seu Único Filho morrer duma maneira tão cruel, mas também ver que toda a humanidade se salvou, ainda valeria a dura pena. Mas acontece que poucos alcançarão o Reino dos Céus tão apregoado por Jesus. Passemos então agora a meditar sobre o segundo homem, aquele que encontrou uma pérola de grande valor diz o texto (LBC – 46). Diz lá no Livro de Apocalipse diz que são 12 as Portas de entrada no Reino dos Céus, vejamos: “E as doze portas eram doze pérolas: cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente.” Então, o mais importante é pensar na entrada, pois somente comprar um campo, até aí, não quer dizer nada, por exemplo: Jesus pagou o preço do campo com seu Sangue, de repente, por pura emoção alguém diz que recebe a Jesus como Salvador, acontece que, duas coisas podem acontecer: nunca mais comparece à Casa do Senhor, ou então começa a caminhar por uns tempinhos, depois se foi. Perdeu-se o campo comprado, foi abandonado, invadido, perdido, e lá no Céu foi anulada a compra, sabem como? Aquele nome escrito no Livro da Vida no dia da enganação foi riscado. Mas à medida que, eu adquiro o Campo, fico muito alegre com essa aquisição, depois compro a pérola, que me dá direito a entrar, eu nem sabia que não era somente um campo vazio, lá já existe construção além das portas de pérola, também já existem as casas de morada. (João. 14: 1, 2). Para irmos encerrando a lição desta manhã, observo a terceira parte da comparação do Senhor Jesus ao reino dos Céus: O verso 47, a lançada da rede ao mar. Muitos vêm por pura emoção, são os peixes ruins. O Senhor separa os bons, quanto aos ruins são lançados fora. O verso 49 diz que podem até permanecer na Casa do Senhor, mas no final virão os anjos e separarão os maus dentre os bons. Pensemos nisto!                                          

domingo, 15 de novembro de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / JESUS, O GRANDE EU SOU! - Lição: 07

                                                         LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 15 – 11 – 2015.
Lição: 07.                                      Título da Lição
 JESUS, O GRANDE EU SOU!
Texto Áureo: “Perto está o Senhor de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade”  (Sl. 145: 18).
                                                      
    465 – 158 - HC  
 Leitura Bíblica em Classe:                                              (Mt. 12: 38 a 49)
38 – Então alguns dos escribas e dos fariseus tomaram a palavra, dizendo: Mestre, quiséramos ver da tua parte algum sinal,
39 – Mas ele lhes respondeu, e disse: Uma geração má e adultera pede um sinal, porém não se lhe dará outro sinal senão o do profeta Jonas;
40 – Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.
41 – Os ninivitas ressurgirão no juízo com esta geração, e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis aqui quem é mais do que Jonas.
42 – A rainha do meio-dia se levantará no dia do juízo com esta geração, e a condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis aqui quem é mais do que Salomão.
43 – E, quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra.
44 – Então diz: Voltarei para minha casa donde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada.
45 – Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele, e entrando, habitam ali: e são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros. Assim é esta geração má.
46 – E, falando ele ainda à multidão, eis que estavam fora sua mãe e seus irmãos, pretendendo falar-lhe.
47 – E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te.
48 – Porem ele, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? e quem são meus irmãos?
49 – E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos.


INTRODUÇÃO:

I – JESUS, O GRANDE EU SOU!
Definição: ELE é desde, antes do principio! É sempre bom estarmos recordando as coisas boas do passado, principalmente em se tratando do nosso Amado Salvador. Quando Houve a recusa de Moisés quanto a ir ao Egito, buscar aquele povo medonho, Jesus ali se apresenta com o Verbo SER; EU SOU! (Êx. 3: 13, 14). Podemos ter certeza que era Jesus, pois a missão era de libertação, e quem É o Libertador desde o principio, se não Jesus? Mas voltando ao assunto desta manhã, sobre o sinal de Jonas, os escribas dos fariseus chegaram a Jesus querendo ver um sinal. A resposta foi perfeita, pois aquela geração ali, diante Dele, estava na mesma situação ou pior, pois aquela geração de Nínive se arrependeu de seu pecado pela pregação de Jonas, é certo que o afastamento do Senhor  Pai para com Israel, havia sido muito forte, 400 anos sem ouvir a voz do Senhor é muito tempo,  mas é bom lembrar que os Escritos, os Pergaminhos, o Senhor não recolheu, ficaram todos  ao alcance de todos os fariseus, saduceus e escribas, de geração a geração.  Se assim não fosse, Jesus não poderia relembra-los de histórias que eles nunca houvesse lido. E de que maneira a família terrena de Jesus sobreviveria espiritualmente, se não houvesse os Escritos Sagrados?  De onde Maria tirou toda aquela santidade para ser  a escolhida mãe de Jesus? De onde João Batista tirou todo aquele conhecimento? Mas, vejamos de que maneira Jesus responde aos escribas ávidos por sinais: “Mas ele lhes respondeu, e disse: Uma geração má e adultera pede um sinal, porém não se lhe dará outro sinal senão o do profeta Jonas”. Podemos até imaginar pela expressão, que Jesus mencionou essas palavras com muita naturalidade, ou seja, simplesmente relembrando a eles uma história já conhecida por todos eles. Eles que bem transparecem na pergunta um toque de irônia, comparando o Senhor Jesus a um mágico, e, portanto queriam ver sinais de magia. É como muitos crentes da atualidade, procurando os Cultos de Libertação, para passar uma tarde ou manhã diferente, ou seja, assistir algumas manifestações de pantomima (espetáculo circense).  Podemos assim dizer, pois se não fosse desta maneira, estaríamos contemplando em nosso meio, muitas transformações de vida, através da Palavra que a cada Culto é transmitida. Mas não é isto que está acontecendo. Assim estava aquela geração diante do Mestre. Porém o senhor Jesus não perdeu tempo em evasivas, foi direto ao assunto; Ah! Tenho sim, um sinal, excelente para uma geração má e adultera. O sinal de Jonas, aquele que esteve três dias e três noites no ventre da baleia (LBC- 39, 40). Acontece que aquela geração se salvou, e ressurgirá no Juízo com essa geração, e a condenará, porque se arrependeram.  Ali Jesus estava diretamente se referindo a todos eles, judeus, e não deixou de mencionar que, ali diante deles estava o que era maior do que Jonas, ou seja, Ele mesmo. É bom estar atento, pois Jesus se referiu àqueles judeus que estavam ali, pois sabia Ele, muito bem tudo que iria acontecer, pois seriam exatamente aqueles, os que o levaria ao Sinédrio,  e consequentemente ao calvário. E ali também foi bem lembrada a rainha de Sabá, vinda de longe conhecer de perto a Salomão. (I Rs. 10: 6 a 9). O mais importante é que houve salvação na vida desta rainha, como disse Jesus, ela se levantará no Juízo final como Igreja de Jesus. Sendo assim vemos que não houve mais nenhuma reação da parte dos escribas, e ali o Senhor continua na sua missão de desvendar os mistérios ocultos ao entendimento humano.  

domingo, 8 de novembro de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / JESUS É SENHOR DO SÁBADO - Lição: 06

LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 08 – 11 – 2015.
Lição: 06.                                  Título da Lição
 JESUS É SENHOR DO SÁBADO
Texto Áureo: “. (EIS aqui o meu servo, a quem sustenho, o meu Eleito, em quem se compraz a minha alma; pus o meu espírito sobre ele; juízo produzirá entre os gentios”. (Is. 42: 1)
                                                      
  388 – 242 – HC -
 Leitura Bíblica em Classe                                              (Mt. 12: 1 a 17)
1 – NAQUELE tempo passo Jesus pelas searas, em um sábado; e os seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas, e a comer.
2 – E os fariseus, vendo isto, disseram-lhe: Eis que os seus discípulos fazem o que não é licito fazer num sábado.
3 – Ele porem, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e o que com ele estavam?
4 – Como entrou na casa de Deus, e comeu os pães da proposição, que não lhe era licito, comer, nem aos que com ele estavam, mas só aos sacerdotes?
5 – Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?
6 – Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo.
7 – Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios, não condenaríeis os inocentes.
8 – Porque o Filho do homem até do sábado é senhor.
9 – E, partindo dali, chegou à sinagoga deles.
10 – E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram dizendo: É licito curar nos sábados?
11 – E  ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará?
12 – Pois quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É por consequência, licito fazer bem nos sábados.
13 – Então disse áquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.
14 – E os Fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem.
15 – Jesus, sabendo isso, retirou-se dali, e acompanhou-o uma grande multidão de gente, e ele curou a todos.
16 – E recomendava-lhes rigorosamente que não o descobrissem.
17 – Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaias; que diz:

INTRODUÇÃO:

I – JESUS É SENHOR DO SÁBADO
Definição: A definição desta questão muitas vezes trazendo dúvidas a respeito das Leis Divinas contidas desde o Antigo Testamento: O Sábado Santo do Senhor. Nós encontramos no Evangelho segundo o evangelista Marcos a seguinte expressão: “E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Assim o Filho do homem até do sábado é Senhor.” (Mr. 2: 27, 28). Agora vamos meditar um pouco nessa fala de Jesus: Se Ele É desde a Eternidade, se Ele com toda a Autoridade na Palavra, ou seja, no Verbo, ordenou junto ao Pai que tudo se fizesse e foi feito,  inclusive na Arte de formar o homem com suas mãos, do pó da terra. Mas não podemos deixar de rever nessa lição, o mais importante, quando da criação de tudo, diz o texto que se encontra em Gênesis cap. 1: 1 a 3: Que a primeira ação, ou seja, para que o Senhor Deus Pai, pudesse criar os céus e a terra, a qual estava sem forma e vazia, e havia muita treva na face do abismo. Por quê? Porque Lúcifer ao cair do Céu abaixo danificou tudo, e só deixou trevas. Aliás, por onde ele passa, ou faz morada, só deixa trevas. Então havia necessidade agora de se criar primeiro, a Luz, aí vem Jesus como o Verbo: Haja luz! Ele é a Luz! E essa Luz Maravilhosa andou aqui na terra, e veio para iluminar os que eram seus, mas os seus não o receberam. (Jo. 1: 1 a 5). Então podemos agora, claramente entender aquela resposta que Ele deu aos fariseus, “Porque o Filho do homem, até do sábado é senhor”.  É claro que aqueles fariseus totalmente afastados das Leis Morais, e principalmente das mensagens proféticas sobre o Messias prometido, jamais teriam condições de entender essas Primícias Celestiais. Isto está bem explicito em nosso texto áureo. O senhor que, muito embora sempre esperando do seu povo o melhor, sabe pela Sua Infinita Santidade, que da grande maioria, não alcançará  esta mesma santidade, através do cumprimento de seus tão preciosos Ensinamentos. Então podemos ver que, no final do texto áureo o Senhor faz uma abertura, ou seja, dá uma oportunidade através de seu Filho Jesus aos povos que Ele no principio não escolheu, esse povo chamado de gentio. Exceto alguns, como por exemplo; aquele que o Senhor chamou de Amigo, Abraão (II Cro. 20: 7). Abraão foi aquele que veio da terra dos caldeus, e recebeu a promessa de ser o pai de todas as famílias da terra. Como vimos acima, sobre o povo que o Senhor não escolheu, mas já sabia que, através da vinda do Messias faria cumprir a Promessa, dando ao gentio os mesmos direitos dos filhos de Israel, como vimos neste texto de II Crônicas. E isto é confirmado na Epístola de Paulo aos irmãos em Gálatas: “Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Sabei pois que os que são da fé são filhos de Abraão. Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: todas as nações serão benditas em ti”. (Gl. 3: 6 a 8)
Quem tem um Deus como o nosso? Previdente, com todas as coisas muito bem organizadas, quando o texto acima diz que a Escritura havia previsto que Deus haveria de justificar pela fé (perdoar) os gentios, então era necessário que Abraão fosse evangelizado. E de fato Abraão recebeu e guardou e cumpriu todos os ensinamentos, pois através dos mesmos chegou a uma condição de tamanha fé, que o Senhor não teve nenhuma dúvida de que ele, Abraão passaria por aquela prova sem tamanho! (Gn. 22: 5 a 8). Mas voltando a Supremacia de Jesus, como Senhor não só do sábado, mas Senhor dos Céus e terra. Vamos agora mais uma vez refletir sobre a questão do Sábado Santo. Como está escrito em Marcos, que o sábado foi feito por causa do homem, está inserido nos Dez Mandamentos da Lei de Deus. (Êx. 20: 8). No mesmo livro de Êxodo cap.31: 15 a 17). O verso 17 é claríssimo quanto à questão do sinal, entre o Senhor e os filhos de Israel para sempre. A verdade é que Jesus, ao dar inicio ao seu Ministério terreno, encontrou uma verdadeira devassa, comandada por escribas, fariseus e saduceus, todos associados à hipocrisia e a tirania. Não havia amor nas atitudes de nenhum deles, podemos muito bem lembrar dos tempos de Abraão, como ele agia em termos de amor para com seus semelhantes. Ali intercedendo ao Senhor por um povo rebelde e contumaz. (Gn. 18: 23, 24). Bem diferente das ações daqueles fariseus que, a todo tempo exaltavam-se dizendo serem filhos de Abraão, mas nunca agiram como Abraão.  O importante de tudo isto é que, Jesus veio para limpar a eira, e colocar o machado junto a raiz da árvore. Vejamos agora a providencia Divina nessa questão do Sábado Santo, no cumprimento da promessa de salvação dos gentios, o qual nós fazemos parte dessa promessa, pois somos gentios alcançados, pela fé como Abraão, por esse motivo nesta Nova Aliança feita agora com o Filho Jesus, foi instituído o Domingo como sendo o dia do Senhor! E, além disto, temos também o sábado para dedicarmos ao serviço do Senhor a exemplo de Jesus, que curou, libertou e salvou no dia de sábado. A chamada semana inglesa, ou seja, trabalhar de segunda a sexta-feira, deixando os sábados para descanso. Esta lei está na constituição de 1988 no Brasil, pois em outros países já havia essa lei. Portanto temos toda a oportunidade de também poder dedicar o sábado ao Senhor. Verdadeiramente o Senhor é Perfeito em todas as suas obras desde o principio. Temos também no livro de Provérbios cap. 8 a própria fala de Jesus ali como o Senhor dos senhores, relatando toda sua participação na criação de tudo. Vemos que Ele relata ser a Sabedoria que o Pai possuiu para que tudo fosse criado por Ele, o Filho, este então foi o primeiro Nome de Jesus. ”O Senhor me possuiu no principio de seus caminhos, e antes de suas obras mais antigas. Desde a eternidade fui ungida, desde o principio, antes do começo da terra. Antes de haver abismos, fui gerada, e antes ainda de haver fontes carregadas de águas. Antes que os montes fossem firmados, antes dos outeiros, eu fui gerada. Ainda ele não tinha feito a terra, nem os campos, nem sequer o principio do pó do mundo. Quando ele preparava os céus, aí estava eu; quando compassava ao redor  a face do abismo, (Prov. 8: 22 a 27).
  

domingo, 1 de novembro de 2015

LIÇÕES BÍBLICAS / JESUS É O CAMINHO! - Lição: 05

                                                           LIÇÕES BÍBLICAS
Classe: “Ovelhas do Bom Pastor.”.
Data: 01 – 11 – 2015.
Lição: 05.                                              Título da Lição
                JESUS É O CAMINHO!
Texto Áureo: “A justiça irá adiante dele, e ele nos fará andar no caminho aberto pelos seus passos”.                                                       (Sl. 85: 13)

                                                      97 – 169 – H

 Leitura Bíblica em Classe                                              (Mt. 11: 1 a 17)
1 – E ACONTECEU que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles.
2 - E João, ouvindo no cárcere falar dos feitos de Cristo, enviou dois dos seus discípulos,
3 – A dizer-lhe: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro?
4 – E Jesus, respondendo, disse-lhes: Ide, e anunciai a João as coisas que oivis e vedes:
5 – Os cegos veem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho.
6 – E bem-aventurado é aquele que se não escandalizar em mim.
7 – E, partindo eles, começou Jesus a dizer as turbas, a respeito de João: Que fostes ver no deserto? Uma cana agitada pelo vento?
8 – Sim, que fostes ver? Um homem ricamente vestido? Os que trajam ricamente estão nas casas dos reis.
9 – Mas então que fostes ver? Um profeta? Sim, vos digo eu, e muito mais do que profeta;
10 – Porque é este de quem está escrito: Eis que diante da tua face envio o meu anjo, que preparará o teu caminho.
11 – Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; mas aquele que é o menor no reino dos céus é maior do que ele.
12 – E, desde os dias de João Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele.
13 – Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João.
14 – E, se quereis dar credito, é este o Elias que havia de vir.
15 – Quem tem ouvidos para ouvir ouça,
16 – Mas, a quem assemelharei esta geração? É semelhante aos meninos que se assentam nas praças, e clamam aos seus companheiros,
17 – E dizem: tocamo-vos flauta, e não dançastes: cantamo-vos lamentações e não chorastes.

INTRODUÇÃO:

I – JESUS É O CAMINHO! 
Definição: Como poderemos melhor definir o Caminho que é Jesus? Recordando daquela Árvore que voltou aos Céus guardada por querubins! O texto áureo bem define, citando a Justiça que agora vem de frente. Já há muito temos conhecimento de que a Justiça Divina representa o perdão dos pecados cometidos nesta vida. Ele foi enviado para oferecer a toda humanidade uma vida abundante. É perigoso nestes últimos dias falar em meio aos evangélicos sobre vida abundante, pois imediatamente os mercenários, os vendilhões dos templos, os que SÓ pensam em riquezas terrenas, bens materiais, e etc., e não se dão conta de que existe algo muito além das coisas terrenas; a salvação da alma, através de Jesus o Caminho que conduz aos Céus através do perdão (Justiça). A Missão do Cristo vindo a essa terra vai bem mais além do perecível, aliás, conduz a Vida Eterna, pois como nos declara a Leitura Bíblica em classe, nos versos 4 e 5, alertando aos discípulos de João que retornassem e contassem a ele, o que estava sendo realizado naquela terra. Jesus veio trocar um fardo pesado de pecados, “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para vossas almas”.  (Mt. 11: 28; 29). Ele Jesus, veio para esta missão, pois a terra e seus habitantes estavam sem rumo, sem paz, sem salvação, sem caminho certo, Ele é o Caminho que conduz aos Céus Eternos! O pecado é uma ameaça constante, o pecado é a violação das Leis Divinas, por isso o Senhor Deus Pai providenciou desde o Éden, um Salvador, e Ele com todo Poder, e o principal, usando de Justiça (perdão). Outro fato importantíssimo é a questão da evangelização; no Sermão da Montanha, Jesus teve o cuidado de esclarecer tudo sobre o cumprimento das Leis do Antigo Testamento, para que não ficasse nenhuma dúvida acerca das mesmas. Quem sabe muitos, vendo aquele jovem pregador não pensaram, agora haverá mudança, vamos ficar livres daquelas leis pesadas. ABSOLUTAMENTE! Jesus declara que: “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido”. (Mt. 5: 18) Como vimos na lição passada, Jesus procurava falar de uma maneira mais accessível para que todos pudessem entender, mas nunca adulterando a Palavra do Pai. Jesus sendo o Caminho que conduz aos Céus sabia muito bem como trabalhar com aquele povo, fez tudo por uma ordem, uma Metodologia sem igual! Vejamos: Ele começa pelo Sermão do monte, ali foi discorrendo a Palavra de Deus, com exemplos magníficos. Em seguida na prática, indo para o meio das multidões sofridas, enfermas, oprimidas pelos demônios, atormentadas pelo diabo. E ali curando, limpando, e na continuidade da evangelização, mostrando em todo o tempo o Caminho, ou seja, de que maneira se pode chegar aos Céus.
As pessoas que tem se perdido nos seus próprios caminhos necessitam, além do perdão de Jesus, precisam recuperar a alegria de viver. Sem Cristo não há reconciliação. “Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.” (II Cor. 5: 19). Mas voltando ao texto áureo, podemos citar a expressão: ... Ele, Jesus nos fará andar no caminho aberto pelos seus passos. Isto é tão sério que nem sabemos como, de que maneira somos merecedores desse cuidado. Jesus é o caminho que também nos faz sair de certas controvérsias sobre os Escritos Sagrados. Quando mencionamos sobre o cuidado de Jesus ali no monte em que todos devem preservar as Leis Divinas, ou melhor, mais do que preservar as Leis é cumprir os Mandamentos do Antigo Testamento. Hoje podemos muito bem entender o porquê da divina declaração, para que não acontecesse o que já há muito acontece. Os Dez Mandamentos da Lei de Deus foram esculpidas em tábuas de pedra pelo próprio Dedo de Deus (Êx. 32: 16). E as demais seiscentas leis escritas por Moisés, todas aprovadas por Deus. Hoje cada um que se fantasia de pastor tem “doutrina” ao seu bel prazer. São multidões de pontos, ou igrejotas com todas as suas liberalidades, encaminhando um povo que por sua vez, não quer nada com a Verdade para outro caminho, que certamente não é o Caminho, a Verdade e a Vida, pois a Palavra de Deus sempre foi uma só. No tempo em que o Evangelho de Jesus Cristo era pregado em todo o mundo de maneira completa e com Temor e tremor, havia salvação de almas. As pessoas recebiam a Jesus em suas vidas e havia mudanças extraordinárias, havia uma consagração provinda de dentro da alma para fora, o comportamento, o linguajar, as vestes, os maus hábitos, eram imediatamente notório, às vezes mudavam até de profissão, por exemplo: Por que será que hoje não há mais essa mudança? A Palavra de Deus era uma só, os ensinamentos doutrinários abrangiam a todas as Congregações do campo. Não havia bíblia da mulher, nem bíblia da vovó, nem bíblia em quadrinhos para crianças, nem bíblia para o homem globalizado (maçom) e etc. Com essas aberrações minaram o campo do Espírito Santo. Isto é muito sério! Jesus disse aos seus discípulos que iria para o Pai, mas que deixaria outro Consolador. “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.” (Jo. 14: 26) vejam a importância de se ter uma só Palavra. Jesus foi bem claro na questão de que o Espírito Santo está na terra na função de conservar os bons princípios contidos na Palavra de Deus. O mais triste de tudo isto é que, partiram do próprio povo que se diz “crente em Jesus”, estes bons princípios se refere às Leis morais contidas nas Sagradas Escrituras, desde o Antigo Testamento. Estes tais fantasiados de pastores que andam por aí, minaram o campo do Espírito Santo. Se cada “congregação” tem uma doutrina diferente, longe dos preceitos éticos e morais, para onde foram os ensinamentos de Jesus desde o Sermão da Montanha? Que contas darão esses falsos pregoeiros na vinda de Jesus? O que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão. (Mt. 12: 31)